quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Está nascendo um novo blog!

Para quem já conhece meu trabalho aqui no Na Manha do Gato, sabe que adoro falar sobre animais, principalmente quando o assunto é gatos! Mas, de repente, achei que o blog estava ficando muito sério, e não estava atendendo direito ao público que gosta de ler sobre cinema e TV com o que gosta de ler novidade sobre animais.
Foi daí que veio a ideia de desmembrar tudo e criar um novo espaço, o lado feminino e mais fru-fru do Na Manha do Gato: o Na Manha das Gatas. O título veio em referência a este blog, é claro, e em plural porque se refere às minhas gatinhas: Belinha, Phoebe e Jasmin.
Pretendo aqui postar lá algumas das novidades que elas aprontam em casa, além das matérias que já postava aqui no Na Manha do Gato sobre animais em geral (agora estão em arquivo). Assim fica mais fácil para o público escolher o que quer ler: sobre animais ou sobre cinema e TV.
Não será fácil administrar tudo, mas a gente vai dando um jeitinho. Portanto, se gosta de saber novidades sobre cinema, TV, séries e dicas de passeios, o seu lugar é aqui. Mas se você gosta de gatos e quer notícias sobre animais, não deixe de conhecer e seguir o Na Manha das Gatas.
Lembrando que ficarei muito feliz com todos os que gostam de gatos e vão continuar seguindo o Na Manha do Gato com suas notícias de TV, cinema, etc...

Review: Dexter: 6.09 - “Get Geller”


Putz grila (pra não dizer algo mais forte)! Por isso que gosto de Dexter, sempre tem algo para me surpreender. E eu que chamei Travis de boboquinha e acreditei que era um pobre coitado, incapaz de tanta maldade, que seria a próxima vítima de Geller!

Foi surpreendente saber que na verdade Geller está morto, e que Travis é quem é o Assassino do Apocalipse. Incrível, não? Quem aí acreditava nisso?

Pelo que parece, Travis é uma espécie de bipolar, tem duas personalidades ou se faz passar por outro de propósito. O que interessa é que foi ele quem armou e matou todas aquelas pessoas, e que na verdade Geller foi uma de suas vítimas e estava congelado num freezer no porão da igreja abandonada.

É bem sensato se lembrarmos que ninguém viu Geller, a não ser Travis. Ainda não entendi se ele armou pra Dexter ou se tudo foi jogo de sua dupla personalidade. O que importa é que o serial killer agora está nas garras desse maluco, trancafiado no porão e sabe-se lá quem o poderá salvar...

Debra está chegando perto de toda história, mas vai ser meio estranho se ela descobrir que seu misterioso irmão também está envolvido nesse assunto. Aliás, com essa de Debra fazer análise e contar seus problemas com Dexter para a psicóloga, ela também poderá estar bem perto de descobrir a verdadeira identidade do irmão.

Achei interessante o fato de Dexter jogar na cara do pai que ele quer ensinar Harrison e estar presente em todos os momentos para que o filho não se torne como ele. Bem verdade, pois apesar da ausência de Dexter, ele sempre recompensa muito bem os momentos que tem com seu filho, além de o afastar de coisas que possam o comprometer. E na verdade, o que Harry fez para que Dexter largasse o seu passageiro sombrio?

Outro ponto legal da série foi Quinn pagando o maior mico após ter dormido com uma mulher velha e acabada. Isso que dá beber demais. Quanto à cena de Quinn jogando verdades na cara de Batista e os dois rolando no chão, foi patética. Pareciam dois bêbados brigando. Legal mesmo foi uma mulher que mandou Batista soltar Quinn, senão ela iria chamar a “polícia”. É, minha senhora, essa é a sua polícia de Miami.

O que está me intrigando mesmo é esse tal de Louis. Quem é esse cara afinal? Nesse episódio descobrimos que foi ele quem “comprou” na internet a mão cortada pelo Ice Truck Killer. Mas já está dando pra perceber que ele tem uma quedinha por Dexter. O que será que ele quer? Já vi que o lance com a irmãzinha de Batista é mais para chegar à casa do serial killer. Aguardemos, isso está me encafifando os miolos!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Review: Dexter: 6.08 - “Sins of Omission”


O pecado da omissão. Esse é o pecado que faz Travis pagar caro a omissão de não ajudar Dexter a capturar de uma vez por todas o louco professor Geller. E não foi por falta de aviso. Dexter o procurou duas vezes oferecendo-lhe seus trabalhos de serial killer, prometendo dar um sumiço no professor impedindo com que a polícia chegasse a Travis. Ele não ouviu.

Estava bem claro que a irmã do cara iria pagar por isso. Geller queria mais uma prostituta, o que na verdade é qualquer mulher que ele ache que deva pagar com a vida suas frustrações ou raivas, ou sei lá o que passa na cabeça desse louco. Travis acreditou mesmo que poderia proteger sua irmã de um cara que já fez tudo o que ele viu fazer (e ajudou)? Foi pro saco, virou talão do IML a irmãzinha de Travis, que antes foi procurada pela polícia, ou melhor, por Debra, que com seu faro já chegou de cara na casa certa.

Geller capturou Travis e disse que fez isso com sua irmã porque ela os entregou para a polícia, tanto que a moça foi encontrada com o cartãozinho de Debra pendurado em sua roupa.

Enquanto isso, Dexter, outro esperto pra caramba, viu um nome bordado em meio aos panos que estavam em volta da vítima, e achou um padre esclerosado que lhe indicou onde Geller estaria escondido. Na mosca!
Agora, sinceramente, eu não sei até onde Dexter vai chegar em mais duas temporadas com esse rumo que está tomando. Ele apareceu para Travis e Geller de cara limpa, foi até Nebraska e deixou o garoto vivo pra contar história, e não se livrou de uma prova que o pegou em cheio: a caneta do hotel em que se hospedou em Nebraska, achada por Debra. A partir daí estou vendo que ela não vai sossegar até descobrir o que há por trás dessa vida misteriosa do irmão. E vai por mim, a danada é ótima investigadora, pra ela descobrir está por um triz. A não ser que o roteiro não leve a isso, mas do jeito que vai isso fatalmente teria que acontecer.

Vejo Dexter ainda envolvido com as palavras do irmão Sam, que eu não sei se é bom ou pior pra ele. Se ele pretende mudar o rumo de sua vida, ótimo, se não, está correndo um sério risco de ser pego por outro Doakes, que pode ser sua própria irmã.

No final do episódio vimos que tanto Dexter como Geller já se viram de longe na tal igreja, onde também está acorrentado o boboquinha do Travis (que cá pra nós, não tem perfil de serial killer nem aqui, nem em Miami). Minha opinião é que ele também vai entrar pra estatística do Assassino do Apocalipse.

domingo, 27 de novembro de 2011

Crítica: Não Sei Como Ela Consegue

Sabe aquelas histórias onde o assunto é a mulher que tem marido, filhos, cachorro, e ainda por cima é bem sucedida no trabalho? Pois bem, esse é o assunto em Não Sei Como Ela Consegue (I Don't Know How She Does It), uma comédia romântica onde essa mulher, Kate Reddy, é Sarah Jéssica Parker.

Kate é do tipo super dedicada, principalmente no trabalho, onde almeja uma promoção. Mas toda essa dedicação faz com que seja meio falha em algumas coisas de sua própria vida, e com isso, marido, filhos, e afazeres da casa ficam sempre em segundo plano.

O marido até leva a história de boa, até aparecer o novo colega de trabalho. Jack é um homem solitário, totalmente fixado no trabalho, e agora que passará a conviver com Kate aprenderá que a vida é muito mais que serviço.

Deu para perceber que é bem previsível, não é mesmo? Uma mulher dividida entre o trabalho e sua família. E tudo isso para saber como ela consegue se virar bem e dar conta de tudo. Mas será mesmo que é possível dar conta de tudo ao mesmo tempo?

O filme mostra aquelas cenas onde o personagem dialoga com os telespectadores, o que eu acho bem chato, por sinal. Mas há quem goste desse tipo de apresentação.

De um modo geral, o que dá para se salvar aqui é a lição de moral final, que ensina aos casais a importância de algumas coisas na vida. Um longa um tanto chatinho, apesar de que algumas mulheres poderão gostar.

Crítica: Assalto em Dose Dupla

 
Daria para imaginar dois assaltos acontecendo simultaneamente no mesmo lugar? Em Assalto em Dose Dupla (Flypaper), é isso o que acontece. Um banco está sendo assaltado por uma dupla de idiotas quando chega uma equipe, essa sim profissional, para assaltar o mesmo banco.
Patrick Dempsey participa do longa como um cara que aparentemente está sacando uma quantia no banco quando a confusão começa. Ele rapidamente tenta defender a moça do caixa, e logo começa a se envolver com ela de uma maneira muito estranha. Bom, na verdade tudo é estranho nesse filme.
Os dois bobocas que entram primeiro para assaltar o banco é a parte engraçada. Onde já se viu querer executar um assalto daquele jeito? Já a turma de assaltantes experiente é muito sinistra, andam só encapuzados e falam sério, não querem saber de brincadeiras em serviço.
O filme todo é uma confusão só, muita trapalhada e pouco sentido. Conforme as coisas vão acontecendo você vai percebendo que nada é o que parece ser. Os personagens são estranhos, mas é preciso prestar atenção em cada um para entender depois o quem de fato são.
Resumindo: o filme não é lá grandes coisas, você consegue dar algumas risadas, mas é só isso.

 

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Review: Glee: 3.06 - “Mash Off”



Esse episódio é uma guerra sem fim entre Sue e Burt, que concorrem para as eleições americanas, entre as garotas do Troubletones e o News Directions e até entre os que querem se eleger presidente do conselho da escola, como Brittany, Rachel e Kurt.

Santana é o tipo de garota muito atrevida, que pratica bullying a granel, e acaba provocando tanto que a discussão para ver quem é o melhor vai parar num jogo de queimadas. As meninas do Troubletones vão com tudo e desbancam o New Directions, que acaba com um aluno machucado.

Aproveitando o gancho, Kurt diz não ao bullying na escola e não ao jogo de queimada, que é uma pratica disfarçada da discriminação. Ele não é tão aplaudido em seu discurso como Brittany, que prometeu mostrar os peitos se ganhasse. Tenha dó, né? Pra salvar a cena, Rachel renuncia sua candidatura a favor de Kurt, e pede que o apóiem. Legal a atitude da garota, pelo menos uma vez tem que saber perder.

Sue, pra variar, atacando Burt em seus comerciais, praticando mais bullying e tentando ridicularizar seu adversário. Sei que muitos são fãs de Sue, mas eu a esganaria facinho.

E Santana também não se saiu muito bem nessa. Apesar de conseguir mostrar ser melhor que Finn, com quem está numa guerrinha acirrada, ele joga na cara dela a cartada final, sua homossexualidade, e acaba com a graça da garota.

Como a coisa está pegando fogo na escola entre os clubes de corais, Will e Shelby mostram que não há necessidade de brigas e fazem um mash up juntos. Pra ser bem sincera, não achei tão legal a apresentação dos corais, na primeira temporada foi bem melhor os mash ups que fizeram. Enfim...

O que fica com aquele ponto de “pra que isso?” é o possível romance entre Puck e Shelby. Ah, sei lá, pra mim ele está encantado com a filha e acabou encontrando nela uma maneira de se aproximar da menina. Se isso vai realmente pra frente, somente nos próximos capítulos. Imagina só quando a Quinn descobrir?

Review: The Big Bang Theory: 5.10 - “The Flaming Spittoon Acquisition”



Enfim Sheldon toma vergonha na cara em relação a sua relação com Amy. Sim, porque ela se julga namorada do rapaz, cobra atitudes, carinho e até uma noite de orgias com ele, que sempre nega tudo, até que ela seja sua namorada.

Apesar de negar, é possível ver as pontinhas de ciúme que Shledon tem em relação a ela, até quando ele bateu em seu amigo de apartamento, Leonard, que saiu com Amy uma vez para uma festa. É fato: ele gosta dela, mas não quer assumir uma relação.

Isso até aparecer Stuart, o cara da loja de gibis, que se interessa pela garota e a convida pra sair. Ele antes consulta Leonard, que lhe avisa sobre seu envolvimento com Sheldon, que acaba não dando a mínima inicialmente para esse encontro.

Amy aceita o encontro, já que seu escolhido não lhe corresponde, e vai ao cinema com Stuart. A cena foi muito boa, porque no encontro Sheldon aparece no meio do filme para convencer Amy a não ficar com Stuart.

Isso tudo resulta numa exigência de Amy, que obriga Sheldon a pedi-la em namoro. O rapaz faz o pedido, meio que sem jeito, e assim que ela o aceita ele a deixa lá com Stuart e vai embora (?). Coisas de Sheldon Cooper...

O mais legal, e esperado, é que ele faz um contrato de namoro, onde existem regras a serem cumpridas, bem como ele fez no contrato de convivência do apartamento com Leonard. Pelo jeito, esse contrato não muda muita coisa no relacionamento dos dois, mas creio que podemos esperar mais cenas pitorescas entre o casalzinho nerd.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Review: The Big Bang Theory: 5.09 - “The Ornithophobia Diffusion”


A ornitofobia, ou seja, medo dos pássaros, é algo presente na vida de Sheldon Cooper, que se depara com um lindo pássaro azul em sua janela e fica arrumando meios para espanta-lo de lá.

Enquanto Sheldon perde seu tempo imitando gatos para expulsar o bichinho da janela, Leonard e Penny resolvem marcar um cinema para mais tarde. Mas eles querem deixar claro que não se trata de um encontro, e sim uma saída casual entre amigos.

É claro que essa saidinha entre os dois vai levantar muitas coisas do passado, como quem escolhia os filmes para assistir, quem pagava a conta....É uma lavação de roupa suja geral.

Leonard aproveita para tirar cada tostão de Penny para pagar as contas, já que não se trata de um encontro...

Raj e Howard estão no apartamento para ajudar Sheldon com seu aparelho para espantar pássaros. Hilário quando o som é emitido, o vidro trinca todo e o bicho não sai de lá. Mais hilário ainda quando ele resolve expulsar a ave com uma vassoura e ela entra no apartamento.

Bernadette e Amy vão ao apartamento para ajudar Shelly, que está atormentado com a presença do pássaro. Mas com jeitinho, as meninas conseguem com que ele faça amizade com a ave, querendo agora ser seu melhor amigo. Só que nem a ave aguentou nosso manhoso nerd, e bateu asas, deixando-o choroso por abandona-lo. Ah, e também porque já tinha comprado 10 quilos de alpiste pela Amazon.

A noite de Leonard e Penny termina um desastre total, mas dá para sacar no final que eles ainda têm uma quedinha um pelo outro. Já Sheldon, vejam só, vai ser mamãe! È que a ave deixou um ovo que agora ele está chocando artificialmente. Só pra rir mesmo.


quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Pica-Pau levará suas aventuras para as telas dos cinemas

Na onda de adaptar desenhos animados em animações para o cinema, a Universal Pictures anunciou que o próximo deles deverá ser Pica-Pau.


Criado por Walt Lantz em 1940, o pássaro já contou suas histórias por várias gerações, chegando a ganhar novos desenhos e histórias com o passar dos anos.


Apesar de amado por muitos, o personagem também é odiado devido seu temperamento frio e maldoso. Mesmo assim consegue arrancar muitas risadas em suas histórias onde também participam Zeca Urubu e Leôncio.


Ainda não é certo se o longa contará apenas com animação dos personagens ou mistura de humanos e animação. A produção deverá começar em 2012.


Assim como Pica-Pau, também teremos um novo longa de Popeye, que já teve sua história nas telonas no início dos anos 80. Esse ano já vimos Zé Colméia e Manda-Chuva, ambos da Hanna-Barbera.


Eu, particularmente, amo Pica-Pau. Ele é para mim o melhor desenho de todos os tempos. E já que a notícia entusiasmou, nos resta torcer para que a história seja tão engraçada como os desenhos mais antigos, que apesar de trazer um Pica-Pau mais maldoso, é muito mais engraçado.



Fonte: Cinepop