segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Thermas dos Laranjais – Diversão em piscina de água quente


O Thermas dos Laranjais é um parque aquático com piscinas de água quente que trazem não só um banho relaxante, mas a vantagem de não passar frio nas águas em qualquer época do ano.

Localizado na cidade de Olímpia, distante a 435 km da capital paulista, próximo à cidade de São José do Rio Preto, o Thermas recebe muitos visitantes durante o ano todo. Apesar de Olímpia ser uma cidade relativamente quente, onde o calor é muito forte durante o verão, ainda assim as piscinas oferecem um relaxante banho e grande procura de turistas.


O parque tem ótima estrutura, com muitas cadeiras e mesas para o banhista descansar e comer, lanchonetes e restaurantes, lojas, piscinas com toboáguas, praias artificiais, pista de surfe, rio lento de corredeira, piscinas de ressurgências (únicas no mundo), e outros tipos de diversão com bóias e água.

O único problema no parque é o excesso de gente aos fins de semana. O que faz com que a procura por um cantinho de descanso seja bem mais dificultosa e as filas dos brinquedos aquáticos muito volumosas.

A cidade de Olímpia está bem estruturada para receber os turistas. Há muitos restaurantes, bares, hotéis e pousadas por toda a sua extensão. Conhecida como “Capital Nacional do Folclore”, Olímpia agora está tentando o título de estância turística do Estado de São Paulo.


Dicas para curtir o Thermas dos Laranjais

- Chegue cedo se você quiser garantir uma mesa ou um armário. Apesar do parque possuir muitos, aos finais de semana lota, sendo mais difícil um lugar garantido. O parque funciona todos os dias, sendo que de terça a domingo ele abre às 8h e fecha às 20h. Na segunda ele abre às 9h.

- Todas as piscinas têm água quente, o que significa que mesmo em dias frios, você ficará aquecido dentro delas. As que possuem pedras são as mais quentes.

- Há muita diversão no parque, e muitas delas radicais. Se você é corajoso, vá à Xícara Maluca ou passe um tempo vendo o que acontece com os que descem por aquele toboágua. É simplesmente hilário.

- As piscinas de ressurgência são as únicas no mundo e estão lá no Thermas. Nunca vi nada parecido, é super interessante. Se você não sabe nadar, não tem problema. Lá você não afunda mesmo. O Mar de Israel é à base de sal, o que trará um incomodozinho se você estiver com alguma ferida ou machucado pelo corpo. Mas é muito interessante, pelo menos para ficar um pouco e conferir como é diferente de tudo o que você já viu.

- Fique tranquilo quanto à alimentação no parque. Além de você poder levar alguns petiscos em sua bolsa, a alimentação lá não e tão cara, e você pode comer sanduíches e porções que saem a menos que R$ 35 (*). Se sua fome for maior, também há restaurantes e churrascarias no complexo, e até um restaurante japonês para atender aos mais sofisticados.

- O Hidrobalanço foi a brincadeira mais divertida para mim naquele parque (não sou muito radical). Trata-se de dois balanços acoplados que são impulsionados por jatos de água. A brincadeira foi tão boa que em um dia só enfrentei a fila duas vezes (a fila é bem demorada, pois são só seis pessoas a cada rodada).

- A pista de surfe é bem radical e boa para aqueles que gostam do esporte ou querem praticar. O melhor dela é o toboágua que você cai assim que sai da pista. Chamado de “Tomboágua”, nele é possível descer em pé, ou tentar várias manobras, pois a descida proporciona isso. É muito legal mesmo, recomendo a descida por ele (você pode descer no Tomboágua sem precisar ir ao surfe, basta pegar outra fila).

- Apesar de anunciar que o parque fecha às 20h, às 18h já são fechadas as atrações, ficando somente as piscinas disponíveis, porém sem guarda-vidas.

- Há muitas opções de hotéis e pousadas com variados preços e gostos. Eu fechei um pacote com ingressos inclusos com a pousada “Tropical Vereda”. Achei o lugar muito aconchegante e interessante para crianças, pois possui mini fazendinha, passeio a cavalo com charrete (não gosto desse tipo de exploração animal, mas enfim...); pesqueiro, playground, piscina e campo de futebol. O meu pacote incluía meia pensão, então eu aproveitava a comida que era caseira e muito bem feita do restaurante da pousada.

- Acredite, um dia naquele parque te faz voltar pra casa com a sensação de “acabado”, super cansado (água quente relaxa demais!). Portanto, é interessante fechar uma meia pensão no hotel de sua escolha porque o cansaço pega mesmo.


- Por mais cansativo que seja, simplesmente amei a estrutura do parque e já falei que todos os anos quero voltar lá. Difícil de não gostar daquele lugar!



(*) Valores referentes a setembro de 2013

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Rio 2 será tema de Reveillon na cidade maravilhosa


Depois do sucesso da animação de Carlos Saldanha sobre a ararinha azul Blu, Rio 2 está prevista para estrear em 28 de março de 2104, mas antes será tema do Reveillon em Copacabana, Rio de Janeiro.

O tema da trilha sonora de Rio 2 estará em sincronia com os fogos de artifício que serão disparados à meia-noite. Detalhe: os primeiros 56 minutos de queima de fogos serão na cor azul, em homenagem ao Blu.

Carlos Saldanha participará do Reveillon de Copacabana, onde também haverá shows de Carlinhos Brown e Will.I.Am, que participam do filme como dubladores.

Em Rio 2, Blu já está casado com Jade e tem três filhos. Seu maior desafio agora é enfrentar o sogro, que mora na Amazônia.




Fonte: Assessoria de Imprensa Fox Films

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Crítica: Jogos Vorazes – Em Chamas

Boa sequência garante novo sucesso para a trilogia


Após a última edição dos Jogos Vorazes, os vencedores Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) e Peeta Mellark (Josh Hutcherson) se veem ainda atrelados aos eventos, já que a nova edição está chegando e eles têm que fazer uma turnê como os vitoriosos dos últimos jogos por todos os distritos de Panem.

Katniss está passando por transtornos em sonhos, acordando em desespero devido a tudo o que passou. Agora, ela tem que se justificar ao namorado Gale (Liam Hemsworth) por ter que continuar com a mentira de seu relacionamento com Peeta, o que os salvou da morte nos últimos jogos.

Jogos Vorazes – Em Chamas (Hunger Games – Catching Fire) traz uma ótima sequência da trilogia, mantendo o bom padrão do primeiro, e até se mostrando superior, com boas sacadas e um bom roteiro.

Toda a jogada de Katniss, seu jeito de mostrar que aquela luta é absurda, sua garra por sobreviver àquela atrocidade, e até o símbolo que fez levantando as mãos com três dedos virou o símbolo de toda uma sociedade revoltada com a imposição do presidente Snow (Donald Sutherland).

Só que o presidente não está gostando nada disso. Com os sobreviventes em evidência, principalmente a garota do Distrito 12, Katniss, ele contrata um novo programador dos jogos, Plutarch Heavensbee (Phillip Seymour Hoffman). E a ideia que ele lança para comemorar a 75ª edição dos jogos é convocar os vencedores de cada Distrito para que voltem à arena para lutar por suas vidas novamente como tributos. No mínimo, covarde.

Símbolo de uma revolução lançado por Katniss
Em Chamas volta com o jogo de sobrevivência em troca da morte de outro humano, e traz ótimos jogadores para a arena, como Johanna Mason (Jena Malone), Finnick Odair (Sam Claflin) e Beetee (Jeffrey Wright).

Caesar Flickerman (Stanley Tucci), Effie Trinket (Elizabeth Banks), Cinna (Lenny Kravitz) e Haymitch Abernathy (Woody Harrelson) continuam muito bem em seu papel. Vale destacar a figura esquisita de Effie, que agora parece estar mais humana interiormente, entendendo a dor de seus pupilos do Distrito 12.

E parece que a dor é o que move tudo. A dor de ter que lutar sabendo que pode sair morto de um jogo absurdo, imposto por um governo arrogante; a dor de estar dividida entre dois homens totalmente diferentes; a dor de ter que proteger sua própria família e ter que ser o que realmente não é. Jennifer Lawrence consegue mostrar a dor de sua personagem e faz isso muito bem.

Jogos Vorazes, nessa onda de trilogias e sagas, foi uma tirada muito bem sacada. O filme não é um melodrama, nem mesmo uma historinha boba de coisas do além (como bruxos, vampiros e lobisomens), é algo que realmente poderia acontecer e já existiu, de uma outra maneira, na história das civilizações. Parece uma coisa da Idade Média em tempos modernos. E a sacada colou muito bem, atraindo milhares de fãs que já estão lotando os cinemas e redes sociais com coisas do filme.
Effie, ainda excêntrica, mas com um coração mais humanizado 

Katniss é a mocinha aqui, mas não uma mocinha boba, chorona, e sim uma heroína, que quer a liberdade para seu povo, o direito de viver em paz e também uma vida melhor para o Distrito em que vive.

Em Chamas é uma ótima sequência, com novos desafios, e um final que faz com que queiramos que venha logo o terceiro filme. Surpreendente e com ótimos efeitos visuais. 

Fiquei fã dos filmes, e aguardo ansiosamente para o desfecho. Ao que parece, querem dividir o terceiro em duas partes também (mais bilheteria, mais dinheiro). Que seja, este está valendo muito a pena.

Vale ressaltar a frase que marca este filme: "Lembre-se de quem é o inimigo". E aguardemos o próximo.





quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Uma passadinha rápida por João Pessoa, a melhor em qualidade de vida no nordeste

Pátio de São Pedro, que abriga a Igreja de São Frei Pedro Gonçalves, no centro histórico




Durante minha estadia em Natal, Rio Grande do Norte, aproveitei para conhecer João Pessoa, capital da Paraíba, cidade que leva o título de melhor em qualidade de vida no nordeste.

Praça Antenor Navarro
Com cerca de 190 quilômetros de distância entre as capitais, é possível alugar um carro e aproveitar para conhecer mais uma cidade.

João Pessoa é uma cidade bem tranquila, indicada para quem quer curtir uma aposentadoria saudável. O centro possui casas históricas e bem cuidadas, dando um charme especial àquela capital. A praça Antenor Navarro é a principal no centro histórico.

As praias de João Pessoa são bonitas e limpas, oferecendo passeios de barco para chegar a piscinas naturais que fazem parte do turismo local. Eu não fiz o passeio porque a maré estava alta demais, e para fazê-lo é necessário horários e épocas determinadas.
Feirinha de artesanato de Tambaú

Uma curiosidade é que João Pessoa possui o ponto mais extremo do oriente do Brasil, denominado Ponta do Seixas. Lá é possível ver o nascer do sol antes de outros locais do país.

O Parque Sólon de Lucena, mais conhecido como Lagoa, é uma espécie de “mini Ibirapuera” dentro da cidade. No local, além do turismo, é possível passar algumas horas relaxantes apreciando o lago.

As feirinhas de artesanato também são o alto do turismo da cidade. Peças artesanais, roupas e bijuterias são vendidas a preços populares como uma boa lembrança daquele Estado.

A minha passagem por João Pessoa foi bem rápida, mas já ouvi dizer que é ótimo ficar hospedado por lá, visto ser uma cidade tranquila e muito bem desenvolvida.

Taí mais uma dica para uma viagem ao nordeste!


Orla de João Pessoa




segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Natal – Capital de dias quentes e gente feliz


Morro do Careca

Localizada no nordeste brasileiro, bem próxima à linha do equador, a capital do Rio Grande do Norte, Natal, é conhecida por oferecer dias quentes em quase todo o ano. As temperaturas passam dos 30°C durante o verão, e chegam a 24ºC no inverno. Mesmo assim, os dias geralmente são abafados, e muitas vezes ensolarados. Por esse motivo, ela recebeu o título de “Cidade do Sol”.

Além do calor predominante no local, outro ponto que faz Natal ser uma cidade querida por todos que a visitam são seus moradores. Os potiguares são pessoas tranquilas, que sempre recebem os turistas com um sorriso no rosto e muita disposição para servir. Não é a toa que muitos que vão visitar a cidade resolvem se mudar para lá.

Fortaleza dos Reis Magos
A cidade é muito tranquila, e possui um visual de apaixonar qualquer amante da natureza. Praias com água cristalina e morna, temperatura agradável e uma culinária que agrada a todos fazem com que as praias e hotéis estejam sempre lotados.

O forte do local quando se fala em comida é o peixe, camarão e a carne de sol. Há opções para todos os gostos e bolsos.

O artesanato é outro ponto forte da região, sendo possível encontrar feirinhas com muitas lembrancinhas e arte por toda a cidade. O local mais badalado é a praia de Ponta Negra, onde existem mais opções de restaurantes e barzinhos. Para quem curte, também é possível esticar a noite em uma casa noturna com forró. Existem várias dedicadas para turistas.

Como principais pontos turísticos estão as praias dos Artistas, badalada e muito linda, e a de Ponta Negra, onde está localizado o Morro do Careca, cartão postal da cidade. A Fortaleza dos Reis Magos, construída em 1598 para impedir a invasão de estrangeiros que queriam dominar o território, além de sua importância cultural, traz uma linda paisagem da cidade e da própria estrutura.

Aeroporto de Natal
Em cidades próximas a Natal você também encontrará ótimos lugares para conhecer. Em Parnamirim, bem pertinho da cidade de Natal, está a Barreira do Inferno, base para lançamento de foguetes no Brasil. Já na Praia Pirangi do Norte, no mesmo município, você encontrará o maior cajueiro do mundo, ponto de parada de todos que vão passear em Natal. É em Parnamirim também que está o aeroporto da região.

Um passeio imperdível é conhecer as dunas de Genipabu, no município de Extremoz. Nas dunas você pode optar por fazer um passeio em buggy, que atravessa as areias e chega até um ponto que oferece uma paisagem maravilhosa.

É no município de Tibau do Sul que você encontrará a praia mais badalada da região. Pipa é do tipo praia pequena e charmosa, muito frequentada por turistas principalmente no período noturno, onde as baladas são mais agitadas.

Apesar de ser uma cidade pequena, Natal ao está longe da violência como outras capitais. Todo cuidado é pouco, principalmente para turistas. O ideal é não andar a noite sozinho e nem em lugares isolados.


Dicas para curtir Natal


- Segundo dizem, sempre há sol em Natal, mas claro que se você for no verão irá pegar um tempo maravilhoso. Fui em setembro e peguei sol todos os dias, porém não estava abafado, ventava muito.
Base de lançamento de foguetes Barreira do Inferno

- Natal é uma cidade apaixonante. Aproveite as diversas ferinhas de artesanato existentes por lá, e não deixe de comprar bastante castanha de caju, iguaria vendida em toda a cidade. Um pacotão custa R$ 10 (*).

- Todos que vão a Natal querem comer camarão. Portanto, há restaurantes especializados no bichinho. Coisa pra turista mesmo. Há opções mais baratas, se procurar. Ponta Negra é o lugar onde você encontra mais restaurantes e preços mais em conta.

- Uma das melhores coisas para se fazer em Natal é alugar um carro. Como viram no texto, há muitas coisas legais para se visitar fora da cidade, e um carro ajuda muito nessa hora. Alugamos um no aeroporto mesmo, saiu R$ 250 (*) para 5 dias.

Praia de Pipa
- Para curtir praia, o melhor mesmo é sair da cidade. Achei a praia dos Artistas muito bonita, me pareceu boa pra banho também. Quanto a Pipa, é bem longe, uns 90 km de Natal, mas vale a pena. A praia é bonitinha, tem uma vilinha bem legal cheia de lojinhas. Dizem que o bom mesmo é à noite, onde as baladas dominam a região. Já tem muita gente que gosta de agito que prefere se hospedar em Pipa que em Natal para aproveitar a vida noturna.

- Indispensável ir ás dunas de Genipapu. Apesar do preço, faça um esforço para andar de buggy, porque vale muito a pena. Pagamos o casal uns R$ 160 (*). Se pedir com emoção, será mais divertido ainda. A vista em cima das dunas é maravilhosa, parece que você está nas Arábias! A única coisa que não gostei lá foi o turismo exploração de animais. Dromedários e burrinhos sendo explorados para servir de atração turística. Vi e não apoio.
Dunas de Genipabu

- A Fortaleza dos Reis Magos foi outro lugar que achei maravilhoso. Possui uma vista privilegiada da cidade e a construção é muito bonita. Já o tal “maior cajueiro do mundo” eu não achei a mínima graça. Ah, é uma árvore grande, você ainda paga para entrar e ver os galhos da mesma. Tirei foto do lado de fora mesmo e aproveitei a feirinha que tem ali, que tem bastante variedade.

- O Morro do Careca é cartão postal, porém a praia é muito ruim. Além do mais, nunca vá para trás do morro, é super perigoso. A cidade é si é calma, mas com turista todo cuidado é pouco. Evite sair sozinho à noite e em lugares muito isolados. Nas ruas fora a da praia, em que há hotéis em Ponta Negra, dizem que é perigoso durante a noite. Melhor precaver e evitar aborrecimentos.

Hotel D'Beach resort
- Amei Natal, o povo é muito simpático e tranquilo, muito receptivo. Fiquei hospedada no hotel D’Beach Resort, em Ponta Negra. Não é bem dizer um resort, mas achei um bom hotel, me hospedaria lá novamente. Tem piscinas boas, restaurante, atrações e está bem localizado. A única coisa ruim é quando você se hospeda em chalés acima do 4º andar, pois lá é morro e você tem que subir escadas ou ladeiras que cansam bastante. Fiquei no 6º andar, portanto só descia no máximo duas vezes, uma para o passeio e outra para o jantar.

- Aproveite para experimentar os sucos e sorvetes com as frutas da região: goiaba, caju, caja, mangaba, umbu, entre outras delícias.



(*) valores referente a setembro de 2013

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Agora é oficial - 50 Tons de Cinza apresenta seus protagonistas

Muito se falou, atores foram escolhidos e acabaram desistindo, mas agora é oficial: Jamie Dornan e Dakota Johnson viverão o papel de Christian Grey e Anastasia Steele.

A revista "Entertainment Weekly" já apresentou em sua capa a primeira foto oficial do casal que chamou a atenção dos leitores de Cinquenta Tons de Cinza, romance erótico escrito por E.L.James.

Apesar de muitos fãs reclamarem da escolha dos atores, não há mais como efetuar mudanças. Dakota já mudou o visual para ficar o mais parecida possível com a personagem Ana, e Jamie deverá seguir a mesma lógica.

Outros atores também foram confirmados para o filme: Victor Rasuk deverá ser José Rodriguez, o amigo de Ana; Luke Grimes será Elliot, o irmão mais novo de Grey, e Jenniefer Ehle viverá Carla, mãe da protagonista.

O filme que deveria estrear em agosto de 2014 foi adiado para 13 de fevereiro de 2015.

Foto da revista EW mostra como será o casal protagonista do filme

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

De funk ostentação a reis do camarote – Onde vamos parar?


Vivemos num momento exagerado de consumismo selvagem, onde músicas e atitudes tentam vender a ideia de que ter dinheiro e sair por aí mostrando suas posses é a coisa mais legal que existe. Será?

Não serei hipócrita aqui em dizer que ter posses não seja bom, é claro que é. Você ter dinheiro para pagar algumas de suas vontades é muito bom. Eu, por exemplo, amo viajar. Gostaria de poder fazer mais vezes isso, mas a falta de dinheiro e tempo me impede. Mas, penso eu, que a viagem me faz bem para a alma, pois agrego cultura, conhecimento e paisagens inesquecíveis que guardarei para sempre em minha memória.

Agora, o que me agrega, por exemplo, gastar milhões em uma noitada? Fingindo ser amigo de todos, sabendo que muitos que se aproximam de mim é por puro interesse, gastando um dinheiro que não vai me trazer nada de bom em retorno. Ah, sim, a não ser ressaca e a cara de bobo ao perceber que realmente nada mudou, a não ser uma exposição que me ridiculariza na mídia.

O funk diz que mudou, que evoluiu. Antes, falava só de sexo e coisas do tipo, agora fala de ter dinheiro, carro de luxo, tênis de marca e tudo mais que mostrar que eu sou melhor do que os outros porque eu tenho dinheiro. Isso é o funk ostentação.

Que me desculpem os apreciadores do funk, mas para mim continua na mesma. Onde está escrito que ostentar é legal? Que eu sou mais legal porque tenho coisas que tem um nome que vende mais caro? Ou porque tenho o carrão importado que os artistas têm, e saio por aí enchendo a cara e causando acidentes que marcarão por um resto de vida uma família toda?

Não, eu não acredito que isso mostre o caráter de uma pessoa, que é o que importa. Ter dinheiro é legal, mas não é algo para se esfregar na cara das pessoas e se achar melhor do que os outros. É algo para que você possa curtir a vida de uma maneira saudável, e com honestidade.

Num mundo cada vez mais materialista, em que as pessoas dão mais valor para nomes do que caráter, não é de se assustar quando vemos essa violência desenfreada que aumenta a cada dia em nosso país. Tudo por quê? Por que quem se ilude com esse tipo de coisa e não tem como comprar, acaba caindo no mundo sombrio do crime, porque ostentar é legal e faz com que ganhe mais gatinhas em sua garupa.

E eu te pergunto: Onde vamos parar com toda essa ostentação? Se já tenho medo do que vejo agora, não quero nem pensar no que virá depois, já que ostentação virou moda.




segunda-feira, 4 de novembro de 2013

De novo em Foz do Iguaçu

  
Vista das Cataratas do Iguaçu


Mais uma vez estive em Foz do Iguaçu para aproveitar tudo o que tem de bom por ali: cataratas, Argentina, compras no Paraguai, e demais passeios.

Da última vez que estive lá, fiquei hospedada num hotel não muito centralizado, que ficava nas proximidades da Avenida das Cataratas. Por ver que a cidade é um pouco perigosa, devido sua fronteira com outros países, desta vez optei por me hospedar no centro da cidade, mais precisamente na Avenida Brasil, onde estão boas lojas e restaurantes. E foi a melhor coisa que fiz.

Terminal de Transporte Urbano de Foz
Da Avenida Brasil você tem acesso mais fácil para outros pontos, ou melhor, pontos de ônibus que te levam para os passeios mais distantes, como cataratas, Argentina e Paraguai.

Mais uma vez não consegui ir à Usina de Itaipu e nem ao Parque das Aves, porque fiquei pouco tempo e em cada país (Argentina e Paraguai) você perde um dia todo para sua visita.

Porém, desta vez visitei o Bosque Guarani, o zoológico da cidade. Na verdade, estava hospedada bem pertinho dali. Quanto ao zoo, ele está um tanto abandonado. Tem alguns animais por lá, mas acho que falta um pouquinho de manutenção, pois o lugar é bonito, mas parece que pouco administrado. Mas vale a visita, já que é gratuito.

Como eu disse, se você pretende visitar os países da fronteira é bom dedicar um dia todo para cada um. Isso porque sempre tem muito para se ver, tanto na Argentina como no Paraguai, e você tem que lembrar que ainda tem que parar para almoçar ou mesmo comer alguma coisa.


As maravilhas das Cataratas do Iguaçu


Queda vista de pertinho
Uma das vencedoras do concurso que elegeu as “Sete Maravilhas da Natureza”, as Cataratas do Iguaçu é o ponto de visitação mais importante em Foz do Iguaçu.

Todo o trajeto que leva até o início das trilhas das cataratas já é uma maravilha, visto que você pega um ônibus que atravessa a mata do Parque Nacional do Iguaçu. Algumas paradas pelo caminho levam a experiências mais radicais, como o “Macuco Safari”, um passeio que você faz com botes e chega bem próximo às quedas das cataratas.

A trilha que se faz para as cataratas é tranquila, numa descida suave e não muito extensa. Pelo caminho já é possível tirar belas fotos para recordação.

No final da trilha, as passarelas permitem que você chegue bem próximo às quedas, e até se molhe com o vapor da água. O ideal é usar uma capa de chuva, caso esteja frio ou você prefira não se molhar.

No final do passeio, você pode optar por subir pelas rampas ou por um elevador panorâmico, que te proporcionará outra linda visão do local.

O Parque Nacional do Iguaçu é lotado de pássaros e borboletas que vivem por lá, além dos quatis, animais que cativam todos os que visitam as Cataratas.

Lembre-se de levar câmeras fotográficas e filmadoras porque você terá uma visão digna de se guardar para a vida toda.


Dicas para curtir Foz do Iguaçu


- Se você vai a Foz de avião e não pretende gastar com táxi para o hotel, logo que sair do
Quati do Parque Nacional
aeroporto, à esquerda, no final você encontrará um ponto de ônibus onde passa a linha que te leva ao centro da cidade, passando antes pela Avenida das Cataratas. É só se informar e localizar o ponto mais próximo ao seu hotel.

- Como eu havia dito no post anterior, Foz do Iguaçu é uma cidade perigosa, pois tem a fronteira como passagem fácil para contrabando e criminosos. Procure ficar num hotel melhor localizado, de preferência próximo a Avenida Brasil. Se caso optar pelos resorts ou hotéis que ficam ao longo da Avenida das Cataratas, procure não andar sozinho.

- A vantagem de se hospedar próximo a Avenida Brasil é que você tem inúmeros restaurantes e lojas por perto. A comida lá é muito barata, bem acessível, com exceção a algumas churrascarias “chama turista” que são anunciadas pelos sites de pesquisa local.

Fachada do Bosque Guarani
- Não tem como ir a Foz e não ir às Cataratas. As passarelas perto da cascata molham, e muito. Leve capa de chuva (você pode adquirir ali mesmo ou no Paraguai, tem um monte de loja que vende) se caso você não quiser se molhar. Cuidado com os quatis, eles parecem dóceis, mas podem ser selvagens, e muitas vezes podem entender um afago como uma ameaça. Mas não deixe de tirar uma foto, pois eles são lindos e chegam bem pertinho de você!

- Se você gosta de comprar souvenirs, encontrará em várias lojas ao longo da Avenida Brasil, onde é mais barato.

- Tudo ali dá para ser feito em ônibus coletivo, qualquer passeio. Reserve um dia para a Argentina (esse passeio é indipensável, vejadicas), e se tiver paciência e disposição para muvucas, um dia para o Paraguai (veja dicas).

- Se puder, dê uma passada no Bosque Guarani. Não é um passeio chique, e sim algo para quem gosta de parques e bichos. A entrada é gratuita. O parque está meio abandonado, mas é sempre bom conferir algo diferente na cidade.

- Nunca fui à Usina de Itaipu. Uns dizem que é legal, outros dizem que não tem a menor graça. Como já conheço uma usina, inclusive em seu interior, e não tive tempo hábil, não fiz muita questão de correr para conferir. Mas ao que parece, se você nunca viu o funcionamento de uma usina, vale a pena conferir como é.
Macaquinho do Zoo

- Na Avenida Brasil tem uma sorveteria chamada “Chiquinho”. Vá! O sorvete é uma delícia, e a variedade é de dar água na boca.

- Fiquei hospedada no Hotel Dany, na Avenida Brasil. Ele é um hotel simples, mas está bem localizado. Café da manhã é gostoso, mas muito repetitivo. Porém, a localidade fez valer a pena.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Puerto Iguazú – A Argentina logo ali



Rua tranquila do centro de Puerto Iguazú
Conhecer outro país já não é algo além dos sonhos, como antigamente. Hoje em dia, muitos pacotes e promoções permitem com que você possa visitar qualquer país do mundo com mais facilidade.

Porém, muitos ainda têm medo de sair do Brasil, talvez pela dificuldade de entender outro idioma, ou mesmo porque nem sempre a facilidade dos pacotes para o exterior estão acessíveis aos bolsos brasileiros.

Uma vantagem para quem viaja para Foz do Iguaçu é o acesso fácil e rápido às fronteiras do Paraguai e Argentina, que possibilitam a visita para esses países sem gastar muito.

Na Argentina, a primeira cidade após a fronteira com o Brasil é Puerto Iguazú. Pequena, pacata e charmosa, é indispensável um passeio por lá.

A cidade dá acesso para as cataratas do lado Argentino, onde é possível ver a queda “Garganta do Diabo” bem de cima. O passeio pelas cataratas Argentina é longo, e exige quase um dia todo para fazê-lo.

Para quem aprecia a jogatina, irá gostar de Puerto Iguazú. Na Argentina é permitido jogos de azar, e a cidade dispõe de cassino para quem pretenda se aventurar a ganhar ou perder alguns trocados.

Outra boa coisa para se fazer em Puerto Iguazú é aproveitar para almoçar ou jantar em um dos seus restaurantes. A carne Argentina é uma das melhores e mais saborosas do mundo, e será um bom motivo para dar uma parada para uma boa refeição.

Aproveite também para visitar as lojinhas da cidade e adquirir produtos como alfajor e doce de leite argentino.

No final do passeio, aproveite o Duty Free que fica logo na fronteira com o Brasil. Lá você encontrará diversos produtos de qualidade com preços interessantes.

Se você vai para Foz do Iguaçu, não deixe de fazer uma visita até Puerto Iguazú.


Algumas dicas para curtir Puerto Iguazú


- A cidade está bem próxima mesmo de Foz do Iguaçu. É possível ir de ônibus, táxi, vans de turismo e até de carro (neste caso, verifique melhor como entrar em outro país com seu carro). Eu usei o ônibus do transporte público de Foz, e achei muito tranquilo. Peguei o ônibus na Rua Mem de Sá, atrás do terminal de ônibus.

- Para entrar na Argentina é fácil, basta levar seu RG com até dez anos de emissão e dizer aos funcionários da fronteira o lugar que você vai. Não se preocupe muito com o idioma, pois por serem países vizinhos eles já estão acostumados com o português e conseguem te entender.
Vista da Garganta do Diabo - lado argentino das cataratas

- Se você está indo pela primeira vez, com certeza irá optar para conhecer as cataratas do lado argentino, que são uma beleza à parte (cá entre nós, é bonito, mas o lado brasileiro é lindo e bem mais organizado e fácil de fazer). As cataratas na Argentina necessitam de muito mais tempo para visita. As trilhas são longas e bem cansativas. O passeio de trenzinho que te leva para o início das trilhas é bem legal. Vá de roupa leve, sapato confortável e leve água, porque se estiver calor, vai precisar muito dela.

- Porém, se for às cataratas, não sobrará muito tempo para curtir Puerto Iguazú, a não ser que você fique lá até a noite. Só verifique as suas possibilidades, no caso se você está de carro próprio, tudo bem, ou terá que pagar táxi para voltar, já que o último ônibus que volta para Foz do Iguaçu sai por volta das 19h.

- Há também a possibilidade de você se hospedar por lá. A cidade dispõe de hotéis e hostels, e dizem que a vida noturna lá é bem legal. Muitos optam por ficarem por lá, e não em Foz.

- Como eu disse, se você optar em visitar as cataratas, provavelmente não terá tempo de almoçar na cidade, daí poderá optar pela janta desde que nas condições que já foram citadas. A cidade é pacata demais, quase não tem movimento, então tudo fecha mais cedo e abre mais tarde, para acompanhar o horário de agito noturno.

Bife de chorizo na chapa
- Eu almocei no restaurante La Tranquera, que fica na Avenida Córdoba, 105, bem pertinho do terminal rodoviário. Lá eu comi um bife de chorizo com arroz, batata frita e salada, que saiu por volta de R$ 85 para três pessoas (em pesos, $ 290). A comida estava boa, especialmente o bife argentino. Esse tipo de prato é servido mais para turistas brasileiros, porque na verdade os argentinos não têm o hábito de comer arroz como nós (é só carne e batata). Pra ter uma ideia, o arroz parecia que nadava na água, sem sal e papa. Quando o garçom percebeu que se tratava de brasileiros, já ofereceu o prato típico para nós, o que ajudou bastante. Gostei do serviço e do preço que paguei.

- A melhor maneira de chegar ao marco das três fronteiras é na Argentina. No Brasil e no Paraguai,  o lugar é muito afastado e perigoso. Já em Puerto Iguazú, basta pegar a Avenida Três Fronteras que no final dela você chegará no “Hito Três Fronteras” (dá pra ir andando, uns 10 a 15 minutos de caminhada). Você também pode ir pela Av. Rio Iguazú. O caminho é mais longo, porém muito bonito, passando pelo rio Iguazú e pelo porto da cidade. No hito, ou marco, você encontrará lojinhas para comprar lembrancinhas do local. Dali, você avista os outros dois marcos, o do Brasil e do Paraguai.
Hito das Trés Fronteras

- Existe uma feirinha que vende salames e azeitonas na cidade, mas juro, já fui duas vezes lá e não consegui ir na tal feirinha, portanto não tenho dicas sobre ela. Não sei se é o horário que vou à cidade, mas não havia nada aberto.

- A cidade dispõe de cassinos, portanto, se gosta de arriscar a sorte, aproveite. Apenas confira o horário de funcionamento antes de ir, pois eu não fui e creio que também estava fechado durante minha passagem por lá (só para constar, estive na cidade sempre pela manhã e saí no começo do entardecer).

- Antes de sair do país, não se esqueça de dedicar um tempo para o Duty Free de Puerto Iguazú, que fica logo na fronteira com o Brasil. O lugar é muito bonito, tem ótimos produtos, e o preço é razoável. Dá para encontrar boas ofertas em perfumes, bebidas e chocolates. Lógico que se você for ao Paraguai encontrará o mesmo produto mais em conta, mas se você não tem paciência para a muvuca que é Ciudad del Este, opte para ir ao Duty Free e garanta sua diversão. É só pegar o ônibus para o Brasil e descer na fronteira. Pra voltar ao Brasil, se conseguir embarcar num ônibus da mesma empresa que você embarcou em Puerto Iguazú, você não precisa pagar a passagem novamente.
Duty Free de Puerto Iguazú


- Não se esqueça de levar pesos argentinos, pois não são todos os lugares em que dólares ou reais são aceitos, principalmente no parque das cataratas. Já soube de gente que foi impossibilitada de entrar nas cataratas porque não tinha pesos. Parece que eles até aceitam reais, mas não devolvem troco. 

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Com alta do dólar, compras no Paraguai deixam de ser tão atrativas


Sempre quando se pensa em comprar barato, logo se pensa em Paraguai. Isso porque os impostos lá são bem menores que o nosso, e muitos produtos acabam sendo vantajosos no preço do vizinho. Bom, pelo menos era assim.

Travessia da Ponte da Amizade
Atualmente, o brasileiro elegeu seu paraíso de compras em Miami, onde os impostos também são menores que o nosso e facilita na hora de comprar os tão sonhados eletrônicos, como celulares, videogames, notebooks, entre outros.

O problema é que Miami está bem longe daqui, e o alto custo da passagem acaba fazendo com que seja mais vantajoso fazer suas compras na fronteira do Brasil, e nesse quesito, Ciudad del Este, no Paraguai, é a campeã de turistas e “sacoleiros”.

Só que a alta do dólar está mudando um pouco este aspecto. Eletrônicos, por exemplo, não compensa comprar no país vizinho. Isso porque você não terá uma assistência técnica, no caso de defeito, e muitas vezes, o produto vem de lá avariado ou mesmo pode-se comprar o tal “gato por lebre”, ou seja, produtos que não são originais e são vendidos como tal.

Bugigangas, que você encontra aos montes no Paraguai, como produtos de beleza, roupas, brinquedos e outras miudezas, estão com o preço equiparado aos dos grandes centros de compra, como ocorre em São Paulo, por exemplo, com a Rua 25 de Março.

Avenida principal em Ciudad del Este
Algumas coisas você até encontra um bom desconto, mas no geral, os preços estão muito parecidos, e até mesmo iguais. O que faz não valer a pena um paulista, por exemplo, pagar uma passagem ou colocar gasolina no carro para ir até o Paraguai. Você gasta muito mais do que ir em grandes centros de compras como a Rua 25 de Março, a região do Brás, ou os vários centros de bairros paulistanos.

Agora se a ocasião é o passeio em Foz do Iguaçu, daí sim, compensa dar um pulinho em Ciudad del Este e conferir algumas ofertas e oportunidades.



Dicas para compras no Paraguai:

- A alta do dólar está realmente deixando muita coisa cara e sem valer a pena no Paraguai. Portanto, não vá com muita sede ao pote para não se arrepender depois. Perfumes, desde que em boas lojas, ainda são mais compensadores, está valendo a pena comprar por lá.

- Para chegar ao Paraguai, desde Foz, você pode optar por ir de ônibus, táxi ou vans de empresas turísticas. Tome o devido cuidado se for contratar alguém para isso, pois você pode cair em uma roubada, literalmente. Eu fui de ônibus, a melhor maneira de chegar lá, na minha opinião. Perto do terminal de ônibus passa o que vai para Ciudad del Este. Para atravessar a fronteira, use somente o RG. Na verdade, eles nem verificam, pelo menos atravessando de ônibus ninguém perguntou quem eu era...

- Lá se aceita de tudo: dólar, guarani e real. Mas o dólar é mais vantajoso para compra. E lembre-se da cota máxima, que é 300 dólares por pessoa. Quando não se tem eletrônicos no meio, a fiscalização nem se preocupa com você.

- Vá bem cedo, pois o horário comercial é bem diferente do nosso. Por volta das 15h30 tudo começa a fechar e você pode não ter tempo hábil para suas compras.

- Ciudad del Este é como uma 25 de Março, só que muito maior. Desnecessário dizer que o cuidado com espertalhões deve ser dobrado. Bolsas sempre à frente, não dar atenção aos vendedores na rua, que querem vender até a mãe, se puderem. Acreditam que um deles me abordou oferecendo uma arma de fogo para matar o marido? Fiquei horrorizada, mas não pude deixar de rir depois com o marido.

- Para hospedagem, você pode optar por ficar tanto em Foz do Iguaçu, no Brasil, como em Puerto Iguazu, na Argentina. No Paraguai não é bom negócio, pois lá é tudo mais bagunçado e perigoso.

- As lojas são muitas, o melhor mesmo é você imprimir um mapinha na internet e verificar bem em quais lojas e o que é prioridade você comprar. Monalisa é a mais famosa, mas também a mais cara. O lado bom é que tudo é original, porém, você acha original também em outras lojas e bem mais em conta do que na Monalisa. Acho que ela é mais aparência para turista. Para comprar perfumes e Victoria Secrets, indico a Elegância, que fica na Galeria Jebai. Roupas é bem legal na Mina Índia, logo no começo da cidade, do lado direito, e na Bonita Kim, onde você encontra roupas de marcas conhecidas com um preço espetacular. Cosméticos é bem legal numa loja da P&W, que fica num lugar um pouco escondidinho, mas numa esquina nas ruas de trás das principais, lado esquerdo.


- Para comer, dizem que tem um bom restaurante na Sax, logo na entrada da cidade. Não sei, nunca fui conferir. Como o tempo é curto, opto mesmo pelo Burger King, lanche rápido e já conhecido. Tem também o MacDonalds por lá. 

- Quanto o idioma, não se preocupe. Todos sabem falar o “portunhol”. Levante cedo, tenha disposição (sim, porque se você não gosta de muvuca e muita gente, nem vá), e boas compras!


sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Crítica : Kick-Ass 2


 Kick Ass 2 mantém seu bom humor e inteligência em sua sequência




Super-heróis sem superpoderes. Isso é demais. Isso é real. Isso é Kick-Ass 2, que vem trazendo uma sequência de muito sangue e pancadaria, além de um bom roteiro de humanos vestidos com máscaras que podem sim morrer se não forem bem sucedidos em suas brigas.

Dave (Aaron Johnson) ainda está sonhando com uma superliga de heróis, e não quer abandonar sua fantasia de Kick-Ass. Porém, quer que Mindy (Chlöe Grace Moretz) seja sua dupla como Hit Girl. A garota até se empolga e treina Dave, que não sabe nada de luta, mas logo é banida pelo seu tutor, o detetive Marcus Willians (Morris Chestnut).

Mindy agora é adolescente, está no ensino médio e terá que enfrentar as “meninices” de sua idade, como papo de garotas, os bonitões da escola e a turminha de populares. Coisa realmente difícil para quem perdeu toda a infância ao lado do pai aprendendo a se defender e até a matar.

Desde que Big Daddy (Nicolas Cage), pai de Mindy, morreu, ela sonha com um mundo melhor e livre de gente do mal. Mas para seguir seu sonho ela precisa deixar de lado o mundo que rodeia a sua idade de colegial, o que não é nada aceitável para o tutor. E com a volta de Chris D’Amico/Red Mist (Christopher Mintz-Plasse), que agora é The Motherfucker (no filme será motivo de risada e espanto a escolha do novo nome) e a liga do mal, ela terá que pensar bem qual caminho seguir.

O filme ainda conta com a participação de Jim Carrey como Coronel Estrelas e Listras, líder de uma liga de heróis. Confesso que na hora nem percebi que era Carrey. O cara realmente está acabado, mas ficou bem em seu papel.

No primeiro filme fiquei fã da pequena Chlöe, que fez muito bem caras e bocas para sua personagem de Hit Girl. Nesta sequência fiquei mais fã ainda. Ela continua mandando bem, tanto como mascarada quanto como garotinha colegial.

O que assusta aqui é a Mother Russa, ou Mãe Russa (Olga Kurkulina). Qualquer marmanjo temeria cruzar seu caminho. Garantiu bem o show de pancadaria, e vou te dizer, parece um filminho bobo, mas aqui você encontra sangue, violência e morte.

Enfim, um filme de heróis sem super poderes, onde você encontrará o que seria uma briga de mascarados de verdade. Com um pouco de barra forçada, mas tudo bem, melhor que superpoderes inexistentes num mundo real.


E pelo visto, teremos um terceiro filme.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Novelas fora da Globo – Alguém assiste?



Desde minha infância vejo as propagandas das novelas globais na TV. Sempre foi assim. Novela nova, e começavam os fuxicos sobre quem são os atores principais, qual o destino da trama, e todas as especulações possíveis. Principalmente sobre a novela das oito, ou nove, hoje em dia.

Confesso que acho as novelas antigas melhores, sei lá, talvez porque tinham um enredo melhor, ou atores renomados. Faz anos que não assisto novelas, mesmo assim, ouço as fofocas de cada uma no meio familiar, trabalho e até transporte público.

Mas daí, quando vejo as propagandas de outras emissoras anunciando suas novelas, me pergunto: “Quem assiste?”.

Tanto SBT quanto Record sempre investem em seus “horários nobres” com a programação noveleira, porém acho que é uma perda de espaço tão grande.... Sim, porque quem quer ver novelas, geralmente liga na Globo, e quem não quer ver e não dispõe de TV por assinatura, vai ver o quê?

Faltam diferenciais na TV brasileira, opções para quem não quer ver algo que vire uma imposição no horário, assim como acontece no horário da novela. Tempos atrás, a Band tentou ser diferencial como uma TV mais para programação esportiva. Hoje, ela diversificou e investiu em pacotes de programas do exterior, o que deu muito certo e levantou a audiência da emissora.

O SBT ainda consegue alguma audiência com seu público infanto-juvenil através de “Chiquititas”, “Carrossel”, e outras neste sentido. E também investe muito nas mexicanas, que já deram até uma boa audiência para a emissora.

Já a Record tem seu núcleo próprio de atores, e investe em novelas com assuntos do cotidiano e religioso. Até em super-herói ela já tentou apostar para conseguir audiência. Cheguei a assistir a parte final de “Vidas Opostas”, e confesso que o enredo era até bom, mas faltava mais talento e até investimento para que fosse algo que realmente merecesse boa audiência.

Hoje, a Record está com a “Pecado Mortal” em sua grade, novela que retrata o ambiente dos anos 70 e o crime organizado naquela época. Parece uma boa história, mas nunca ouvi ninguém comentando um só capítulo dessa novela.

Já as “globais” estão sempre na boca do povo, nas colunas e programas de fofocas, trazendo manias, moda e assunto para se discutir no dia a dia de cada um.

Já não era hora das emissoras se livrarem desse mal de copiar, de ter que ser igual em tudo, até na grade de horários, e começar a inovar e diferenciar suas programações? Seria mais opções para os telespectadores e mais opções para eles mesmos.

As emissoras podem continuar a reproduzir novelas, mas, que tal em outro horário, de outra forma?


A única emissora que se deu bem nesse lance de novelas foi a extinta Rede Manchete, com "Dona Beija", "Pantanal" e "Ana Raio e Zé Trovão". Bons tempos de Manchete!

Só para terminar: minhas novelas preferidas foram “Roque Santeiro” e “A Gata Comeu”. Que os remakes nunca atinjam ou estraguem essas relíquias!