terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Crítica: Jogos Vorazes – Em Chamas

Boa sequência garante novo sucesso para a trilogia


Após a última edição dos Jogos Vorazes, os vencedores Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) e Peeta Mellark (Josh Hutcherson) se veem ainda atrelados aos eventos, já que a nova edição está chegando e eles têm que fazer uma turnê como os vitoriosos dos últimos jogos por todos os distritos de Panem.

Katniss está passando por transtornos em sonhos, acordando em desespero devido a tudo o que passou. Agora, ela tem que se justificar ao namorado Gale (Liam Hemsworth) por ter que continuar com a mentira de seu relacionamento com Peeta, o que os salvou da morte nos últimos jogos.

Jogos Vorazes – Em Chamas (Hunger Games – Catching Fire) traz uma ótima sequência da trilogia, mantendo o bom padrão do primeiro, e até se mostrando superior, com boas sacadas e um bom roteiro.

Toda a jogada de Katniss, seu jeito de mostrar que aquela luta é absurda, sua garra por sobreviver àquela atrocidade, e até o símbolo que fez levantando as mãos com três dedos virou o símbolo de toda uma sociedade revoltada com a imposição do presidente Snow (Donald Sutherland).

Só que o presidente não está gostando nada disso. Com os sobreviventes em evidência, principalmente a garota do Distrito 12, Katniss, ele contrata um novo programador dos jogos, Plutarch Heavensbee (Phillip Seymour Hoffman). E a ideia que ele lança para comemorar a 75ª edição dos jogos é convocar os vencedores de cada Distrito para que voltem à arena para lutar por suas vidas novamente como tributos. No mínimo, covarde.

Símbolo de uma revolução lançado por Katniss
Em Chamas volta com o jogo de sobrevivência em troca da morte de outro humano, e traz ótimos jogadores para a arena, como Johanna Mason (Jena Malone), Finnick Odair (Sam Claflin) e Beetee (Jeffrey Wright).

Caesar Flickerman (Stanley Tucci), Effie Trinket (Elizabeth Banks), Cinna (Lenny Kravitz) e Haymitch Abernathy (Woody Harrelson) continuam muito bem em seu papel. Vale destacar a figura esquisita de Effie, que agora parece estar mais humana interiormente, entendendo a dor de seus pupilos do Distrito 12.

E parece que a dor é o que move tudo. A dor de ter que lutar sabendo que pode sair morto de um jogo absurdo, imposto por um governo arrogante; a dor de estar dividida entre dois homens totalmente diferentes; a dor de ter que proteger sua própria família e ter que ser o que realmente não é. Jennifer Lawrence consegue mostrar a dor de sua personagem e faz isso muito bem.

Jogos Vorazes, nessa onda de trilogias e sagas, foi uma tirada muito bem sacada. O filme não é um melodrama, nem mesmo uma historinha boba de coisas do além (como bruxos, vampiros e lobisomens), é algo que realmente poderia acontecer e já existiu, de uma outra maneira, na história das civilizações. Parece uma coisa da Idade Média em tempos modernos. E a sacada colou muito bem, atraindo milhares de fãs que já estão lotando os cinemas e redes sociais com coisas do filme.
Effie, ainda excêntrica, mas com um coração mais humanizado 

Katniss é a mocinha aqui, mas não uma mocinha boba, chorona, e sim uma heroína, que quer a liberdade para seu povo, o direito de viver em paz e também uma vida melhor para o Distrito em que vive.

Em Chamas é uma ótima sequência, com novos desafios, e um final que faz com que queiramos que venha logo o terceiro filme. Surpreendente e com ótimos efeitos visuais. 

Fiquei fã dos filmes, e aguardo ansiosamente para o desfecho. Ao que parece, querem dividir o terceiro em duas partes também (mais bilheteria, mais dinheiro). Que seja, este está valendo muito a pena.

Vale ressaltar a frase que marca este filme: "Lembre-se de quem é o inimigo". E aguardemos o próximo.





4 comentários:

  1. Ainda não vi em chamas,mas amei jogos vorazes, estou procurando os livros para comprar!


    http://soltandooosbichos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu adorei o filme, achei que ficou uma ótima adaptaçao do livro, conseguiu resumir e manter a integridade do livro. Acho que de todos os livros de distopias que li esse é o melhor.
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Confesso que não sou fã desse gênero de literatura, apesar de gostar de filmes e livros futuristas.

    Também não assisti nenhum desses fillmes da trilogia.

    Esse negócio de mil mortes em um jogo cruel…ai…não dá não!

    beijinhos, Lígia e =ˆ.ˆ=

    ResponderExcluir
  4. Meu papis adorou!!!! beijos miados!

    ResponderExcluir