quinta-feira, 2 de julho de 2009

Covardia humana


É impressionante o que o ser humano faz com sua inteligência. O único animal pensante, racional (é o que dizem, nem todos o são), que pode usar sua capacidade mental para o bem, acaba a usando para fazer o mal. E ainda mais com aqueles que nem tem como se defender direito. E aqui vou falar sobre os animais.
Como pode uma pessoa maltratar, judiar ou até mesmo matar um animalzinho? Vou especificar mais aqui os animais domésticos, ou seja, cães e gatos que diariamente são comprados ou adotados por pessoas para convívio em seu lar e muitas vezes acabam abandonados, jogados na rua como se fosse um saquinho de lixo.
Precisamos entender que animal não é brinquedo. Não é um simples robozinho que você adquire na loja e quando se cansa de brincar com ele joga em qualquer canto ou até mesmo no lixo. O que muitas vezes ocorre é que a criança vê o bichinho em uma vitrine de pet shop, acha bonitinho e pede para os papais levarem. Os papais levam, acham uma gracinha enquanto ele é pequenininho, mas o problema vem depois. O bichinho nem sempre é adestrado, geralmente cães não têm um lugar específico para fazer suas necessidades fisiológicas. E aí vai que eles fazem em qualquer lugar da casa, e vão deixar as donas de casa desesperadas... Então o bichinho vai crescendo, vai tomando mais espaço, destruindo seus sapatos, suas roupas, seus móveis, e o que acharem legal para brincar. E é aí que aqueles papais que adotaram o animal para mimo de seu filho resolvem o dispensar, mesmo porque ele cresceu e já nem é mais tão bonitinho assim, além de estar dando trabalho demais. E porque não avaliaram isso antes de pegá-lo para criar?
Olha, nós somos os racionais. Temos a obrigação de avaliar todas as possibilidades antes de ter responsabilidade com qualquer coisa. E não podemos julgar que os animais saberão se defender quando os largarmos na rua, no abandono. Animal sente dor, fome, sede, frio, medo. Ele não tem como se defender da crueldade humana, de pessoas que não entendem que eles só querem um carinho, um pouquinho de comida, um cantinho seco para dormir. Recentemente, jovens mataram um cachorro a pauladas no Rio Grande do Sul, e o que é pior: filmaram seu ato sórdido. Como pode alguém agir com tanta maldade contra quem nem está te fazendo mal? Sei que existem casos em que animais atacam seres humanos e até crianças, e acabam precisando ser sacrificados pelo ato. Mas aqui estamos falando de um pobre cãozinho que só foi acusado pela dona de atacar as galinhas que viviam em sua casa. Nossa! Grande motivo, não é mesmo? (a matéria completa segue no link no final da matéria).
Crueldade contra animais é crime previsto no Artigo 32 da Lei Federal 9605/98. O mesmo prevê até mesmo detenção para quem o pratica. Lembremos novamente que o animal, assim como nós, sente dor, sangra ao se machucar, sente necessidade de comer e beber. Eles também se afeiçoam ao seu “dono”, e quando são abandonados, além do que foi citado, sentem a falta da casa, da pessoa que o tratava, de um carinho, de um afago, do cantinho onde dormia. Ninguém gosta de ser tratado com desprezo e ser jogado fora. E pode ter certeza, os animais também não gostam. Vamos deixar a ignorância de lado e aceitar o fato de que eles têm sim um sentimento, e quando tratados com carinho, irão retribuir isso a você. Falo por experiência própria, criando duas gatas que foram adotadas e que enchem meu lar de harmonia e carinho.
Ah, outra questão: amigo não se compra. Portanto, se você quer realmente ter um animalzinho de estimação, pense na possibilidade de adotar um. Tem tantos pet shops e ONGS que se dispõem a recolher e entregar de graça bichinhos abandonados... Pode ter certeza que será uma ótima opção. Mesmo se a sua escolha for um animal de raça, pense na possibilidade de arrumar mais uma vaga no seu quintal para um adotado.
Deixe se levar pelo carinho do olhar de um animalzinho e tenha o coração mais feliz. Denuncie maus-tratos contra animais na delegacia mais próxima e exija que seja feito o boletim de ocorrência. E lembre-se: posse responsável. Ao assumir a responsabilidade por um animal, cuide dele até o fim de seus dias.

Phoebe e Belinha: gatinhas que foram adotadas por mim e hoje vivem

confortavelmente em meu lar, dando mais alegria na casa

Link para notícia oficial sobre a morte do cachorro em Rio Grande do Sul, publicada por Carla Silva para o site IG : http://minhanoticia.ig.com.br/editoria/Cidades/2009/07/02/policia+identifica+jovens+que+participaram+de+morte+de+um+cao+a+pauladas+no+rs+7044392.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário