terça-feira, 30 de junho de 2009

O pop star e seus problemas mal resolvidos

Mais uma vez o assunto é Michael Jackson. Mesmo porque agora vão aparecendo mais notícias sobre o cantor, documentários e outras fofocas que até então passaram batidos para mim.
Vi nesse último domingo uma entrevista com o músico que ainda não tinha visto, a qual passou na Rede Record após o Domingo Espetacular. Nela ficou evidente que ele realmente tinha problemas que vinham desde sua infância e que o deixaram meio de fora da realidade.
Jackson contou que o pai o torturava quando pequeno, que batia e exigia que cantasse e o fizesse bem feito. Que várias vezes apanhou e viu seus irmãos apanharem quando algo não saia do jeito que o pai queria. Chegou a dizer que durante a noite, via e ouvia toda a relação sexual dos irmãos, com mulheres que eles levavam aos quartos de hotéis e pedia para que o irmãozinho não olhasse. Que o pai o chamava de feio, principalmente quando atingiu a fase da adolescência e seu rosto ficou cheio de espinhas. Ou seja, o coitado tinha razões de monte para surtar. E surtou.
Bom, até aí tudo bem, mas a gente tem que tentar superar certos problemas ou lidar com eles da melhor maneira. E isso ele não fez. Fico pensando no peso que leva alguém ser famoso e ter que dar bom exemplo para seus fãs ou seguidores. E aí vemos que além do peso de sua vida pessoal, teve o peso da fama, e as conseqüências no meio artístico não costumam ser tranqüilas.
Quando o repórter falou sobre sua infância, Jackson teve seus olhos rasos d’água, pedindo para que ele não fizesse isso com ele (reviver os fatos passados). Vemos que realmente sua infância o deixou problemático, querendo mudar tudo o que o fazia lembra-la. Mudou tanto que ficou irreconhecível no final de sua vida. Fez várias plásticas, mudou o seu tipo de cabelo e cor de pele. O que não dá para aceitar é ele dizer que isso aconteceu naturalmente. Como assim? Ele disse para o repórter ir perguntar a Deus o porquê de suas mudanças físicas, já que plástica ele só afirma ter feito uma. Como que alguém pode ter seus aspectos físicos totalmente modificados naturalmente da maneira como aconteceu com ele? Por que era tão difícil para ele assumir a verdade? Mesmo porque elas são evidentes.
E os seus filhos, o que dizer? Nenhuma característica do pai. Agora já estão surgindo os rumores dos envolvidos com o fato, dizendo que nenhuma das crianças era biologicamente de Michael. É difícil não pensar o contrário.
Michael tinha todo um jeito doce, de alguém que sofreu na vida e ficou com o desejo de ser criança eternamente. Ele disse ao repórter que apenas dormia com as crianças porque adorava pô-los em sua cama e contar histórias, dar leite quente com cookies e ficarem todos juntos. Disse que não via maldade nisso. Mas as pessoas viam. E pelo jeito, aproveitaram-se da situação com muita grana por baixo disso tudo. Já que agora o menino que o acusou disse, segundo noticiários, que o pai o obrigou a isso e que a acusação de abuso sexual era falsa. Triste...
Jackson viviam num mundo onde a realidade não existia. Tudo era da maneira em que a mentalidade que queria ser criança via. Seus filhos viviam cobertos com máscaras, aliás, ele próprio assim vivia. E ninguém entendeu o porquê disso. Era por causa de seus problemas de saúde, ou por causa da fama, ou loucura mesmo?...
O astro pop morreu com 51 quilos, quase careca, com várias cicatrizes de cirurgias plásticas, com vários remédios dentro de seu estômago. Então não dá para entender porque ele ocultou tanto sobre seu verdadeiro problema. Tudo ficou muito evidente, nada era real. E não tinha ninguém, um amigo ou alguém da família ao seu lado para trazê-lo de volta a realidade. Infelizmente, acredito que todo o seu trauma de infância não valeu o resultado final que custou sua vida. Viciado em remédios, morfinas, cirurgias plásticas, tratamentos para mudar a coloração em sua pele...Enfim, tudo abreviou sua bela carreira e vida. Uma pena para todos, principalmente para ele. Luz e paz, M.J.!

Fontes: Rede Record, sites Terra, Ig e G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário