segunda-feira, 22 de junho de 2009

Filme de Jean Charles retrata a vida dos brasileiros em Londres


No próximo dia 26 de junho será a estreia do filme Jean Charles, que irá contar como foi a vida do brasileiro que foi assassinado em julho de 2005 no metrô de Londres após ter sido confundido com um terrorista.
Quando vi que iriam lançar um filme sobre essa história, já pensei: “Ihh, lá vem mais um daqueles dramalhões”. Mas ao me lembrar que a história era situada em Londres, veio uma curiosidade em assisti-lo, afinal, meu marido viveu lá por quase dois anos, e eu por um mês.
Muito que bem, fomos à cabine de imprensa para vê-lo. Qual não foi minha surpresa! O filme é legal, não tem nada a ver com o dramalhão que eu pensava que seria. Retrata muito bem como é a vida de um brasileiro naquele país, todo o preconceito, saudade, tristeza e muito trabalho para se ganhar alguma coisa.
O filme é de Henrique Goldman e será lançado pela Imagem Filmes. Goldman não focou apenas na tragédia ocorrida, e sim deu ênfase a quem era realmente Jean Charles. Um garoto esperto, trabalhador e sonhador, como tantos outros, que teve a infelicidade de ser confundido com terroristas em pleno auge de atentados a Londres. Aqueles que conhecem bem a cidade vão com certeza se encontrar em alguma parte do filme. Eu mesma me vi na pele da sua prima Vivian, que se atrapalha toda ao atravessar a rua já que lá a mão no trânsito é diferente da nossa. Confesso que quase fui atropelada por lá...
O longa começará contanto a história da chegada de Vivian a Londres, mostrando a vida de todos por lá e lógico, como foi que aconteceu o trágico homicídio. Segundo Goldman, o filme se baseia em fatos reais, mas possui fatos fictícios. Para conseguir escrever a história o diretor ouviu relatos dos amigos e parentes que moravam com Jean em Londres, da família e das pessoas da pequena cidade de Gonzaga, interior de Minas Gerais, terra natal de Jean Charles de Menezes.
Mas é isso, assistam ao filme, principalmente os que já moraram ou que moram fora do Brasil, e duvido que não se identificarão com ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário