terça-feira, 6 de março de 2012

Review: The Walking Dead: 2.11 - "Judge, Jury, Executioner"


Acabo de assistir a esse 2.11 e confesso que estou de boca aberta e um tanto triste. Se achei o episódio anterior fraco e um embromation sem tamanho, não posso falar o mesmo deste aqui.

Alguém dá um bom corretivo no Carl? Sim, porque esse menino não se ligou ainda que ele tem que obedecer, não brincar de ser alguém no grupo. Primeiro, vai até o prisioneiro e fica ouvindo tudo o que ele tem pra falar, com sabe-se lá qual intenção. Depois, responde mal a pobre Carol, que apenas quis sentir sua filha viva em algum lugar (o moleque a chama de idiota).

Quem o garoto pensa que é para pegar uma arma escondido e sair por aí bancando o mocinho valente? Fiquei louca com a cena em que ele provoca um zumbi e ameaça atirar em sua cabeça. O zumbi tava ali, quietinho, mas o moleque mexeu e quase foi pego. Teve que sair correndo, né espertinho?

Enquanto isso, uma comissão resolve o que fazer com a vida do prisioneiro Randall, já que a maioria quer matá-lo e Dale quer que ele viva. Ironia do destino?

Só sei que se Carl não tivesse cutucado zumbi com vara curta, não teria dado no que deu. Ver Dale ser rasgado por um zumbi foi triste. O cara era muito gente boa, não mereceu o final que teve. Sofreu muito e alguém tinha que dar o tiro de misericórdia. Foi muita coragem, Daryl.


Nenhum comentário:

Postar um comentário