quinta-feira, 22 de março de 2012

Crítica: Cada um Tem a Gêmea que Merece


Comédia com Adam Sandler mostra igualdades e desigualdades entre irmãos gêmeos

Cada um Tem a Gêmea que Merece (Jack and Jill) é mais um daqueles filminhos “água com açúcar” estrelado por Adam Sandler, que aqui faz o papel duplo dos gêmeos Jack e Jill.

Jack é um publicitário de Los Angeles, casado com Erin (Katie Holmes), com quem tem dois filhos com atitudes estranhas. Todos os anos ele teme a vinda de sua irmã gêmea Jill, que vem para passar com a família dele o dia de Ação de Graças. Só que desta vez, ela quer ficar em sua casa por mais tempo.

Jill é o tipo “mulher baranga”, solteirona e desengonçada, que implora por mais atenção de Jack. Este, por sua vez, não tem o mínimo de paciência com ela, e acaba a magoando a toda hora.

O filme é bem fraquinho, mas o que podemos destacar aqui é a boa participação de Al Pacino. Quem também aparece em uma pontinha é Johnny Depp. Os astros ajudam a dar um clima a mais de comédia para o longa.

O papel de Katie Holmes é bem chato. Ela representa uma esposa submissa demais, não tem atrativo nenhum. Já no caso dos gêmeos, também chega a ser cansativa a briguinha entre irmãos e a linguagem diferenciada que eles têm de criança.

Não vou falar que não dei boas risadas com o filme, mas por si só, é muito fraco e cansativo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário