quarta-feira, 12 de maio de 2010

As lembranças de um glamouroso Miss Brasil

Neste último sábado (8/05), o Miss Brasil foi ao ar pela tv Band, apresentando as representantes dos estados brasileiros para o concurso.

A vencedora foi Déborah Lyra, 20 anos, estudante de jornalismo, representando o estado de Minas Gerais, porém originalmente capixaba. Levou para casa a quantia de R$ 200 mil, jóias, carro 0Km e a vaga no concurso de Miss Universo.

Vou agora recordar os concursos de Miss Brasil do passado. Lembro-me, na década de 80, como eram glamourosos os concursos de miss, como todos paravam para ver o espetáculo que esse tipo de programa representava.

Apenas pessoas chiques e socialites eram convidados para participar do evento. Também se contava com a participação de cantores da moda, com músicas que estavam nas paradas de sucesso. Na década citada, Silvio Santos era o apresentador, e fazia de maneira perfeita o show de beleza virar um programa esperado por toda a família a cada ano.

Eu assistia como quem esperava por uma Copa do Mundo. Nunca quis participar dessas coisas, mas achava lindo as meninas que participavam do Miss Brasil. Quando escolhia a que achava que deveria ganhar, torcia por ela até o fim. Algumas vezes acabava triste por minha escolhida perder. Mesmo assim, ficava ansiosa para o Miss Universo.

Eis que por acaso, acabei por assistir ao Miss Brasil 2010. Que decepção. Não tem nada mais a ver com aquilo que me chamava a atenção no passado. Vamos começar pela diferença das participantes. Antes, tinham que ser bem torneadas, mulher com corpo bem definido e toda ao natural. Hoje, o que vemos são mulheres extremamente magras, com vários sinais de plástica e esteticamente produzidas. Não que a maioria não seja bonita, mas são produzidas. Antes, se isso fosse descoberto, a candidata era desclassificada.

Confesso que no programa atual torci mesmo para a candidata de Minas Gerais, mas outra decepção ao saber que na verdade ela não é mineira, e sim do Espírito Santo. Na verdade, ela mora em Minas há dois anos, desde então se prepara para o concurso. Ou seja, ela conseguiu uma vaga de beleza mineira sem ser mineira (?!).

E quanto aos cantores escolhidos para o programa? O que tem a ver Latino lá? Nada contra quem gosta, mas como eu disse, era um programa onde só participavam pessoas estilosas, vestidas a rigor.

Bom, as coisas mudam mesmo, hoje nem dá para julgar alguém pela beleza natural, pois as cirurgias plásticas e suas facilidades estão aí pra isso mesmo. E levante a mão quem nunca fez ou não pretende fazer...

Mas que o programa deixou de representar o que era, isso sim. Algo sem graça e com o mínimo de estilo e luxo possível.



Nenhum comentário:

Postar um comentário