domingo, 9 de agosto de 2009

Polêmica e alívio com a nova lei em São Paulo

LEI Nº 13.541, DE 7 DE MAIO DE 2009
Proíbe o consumo de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos ou de qualquer
outro produto fumígeno, derivado ou não do tabaco, na forma que especifica



Desde 7 de agosto vigora uma lei no Estado de São Paulo que é absurda para uns e justa para outros: a lei antifumo.

O governador José Serra assinou a lei que proíbe o fumo em ambientes fechados ou cobertos, e desde então criou uma polêmica sem tamanho. Agora, só se pode fumar na rua ou na sua própria casa.

Cada um com sua opinião, mas são evidentes os dois lados da corda. Para quem fuma, vem a revolta. Para saciar sua vontade, terá que sair fora do ambiente de trabalho ou do barzinho que frequenta. E como não é qualquer patrão que deixa sair em horário de expediente, ficou difícil para eles.

Já para quem não fuma, a notícia traz conforto. O conforto de não ter que compartilhar com a fumaça alheia. Nem no serviço e nem no barzinho ou restaurante.

Aí gente, na boa, quem não fuma sofre com a fumaça sim. Cada um com seus vícios, se quer fumar, fume, todos sabem quais são os componentes e riscos trazidos pelo fumo. Mas para quem não gosta nem do cheiro, é difícil ficar num ambiente fechado suportando a fumaça. E vamos ser sinceros, tem muita gente aí que não respeita o fato de a outra pessoa não gostar, apenas pensa no seu prazer de fumar. Falta respeito, compreensão e agora o cumprimento da lei. Pois sinceramente, duvido muito que todos os lugares vão respeitá-la.

Ou o fumante e dono do escritório em que trabalha vai respeitar o seu funcionário com problemas respiratórios? Esperamos que sim...
A lei antifumo veio mesmo a favor daqueles que já levaram um “não tô nem aí” na cara quando disse a alguém que o cigarro o incomodava. E pode crer, isso acontece e muito.

Aos fumantes resta agora a conformação e o jeitinho para escapar naquele momento em que a vontade bate, ou o incentivo para tentar parar de fumar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário