sexta-feira, 25 de junho de 2010

Uma ajuda bem-vinda ao pobre gatinho amputado


Oscar é um lindo gatinho inglês (não da raça, mas do país) que teve suas patas traseiras amputadas por uma ceifadeira.


Para ajudar esse bichano, a equipe do cirurgião veterinário Noel Fitzpatrick resolveu investir na técnica do uso de membros artificiais. Enquanto eles estavam sendo desenvolvidos para Oscar, ele  se adaptava com um pino de metal que foi colocado na extremidade de suas perninhas traseiras.


Assim que o corte fechou, cresceram pele e osso ao redor do pino, fazendo com que o mesmo ficasse resistente. E foi possível então aplicar as próteses que são fixadas ao pino através de meias.


O gatinho agora consegue andar, com um pouco ainda de dificuldade, mas coisa que aos pouco ele irá se adaptando. A única coisa que me preocupa é que, segundo Gordon Blunn, professor da equipe de engenharia biomédica da University College of London, a qual fez as próteses para Oscar, essa técnica frequentemente traz grande pressão entre o corpo e o membro artificial, causando feridas. Espero que Oscar não passe por isso.


Apesar da tristeza pela perda das patinhas do lindo bichano, e da alegria por agora ele ter a chance de andar novamente, fico mais feliz ainda pelo gesto caridoso do ser humano em ajuda-lo para isto.


O povo europeu é um povo frio, é verdade. Mas é impressionante a dedicação que os ingleses têm pelos animais. Passei um mês em Londres, e o que via lá era a dedicação de todos com os animais. Imagina só você pegar ônibus e do seu lado sentar um baita pastor alemão? Lá isso acontecia. Tudo porque os “donos” de animais são ensinados a não criar seu animal com violência, a não incita-los a isso. Então, geralmente, os animais são tranquilos, bem cuidados, dóceis. E podem andar de ônibus sem ninguém olhar feio pra eles.


Tudo porque os animais têm seu direito garantido naquele país, sendo oferecida até uma ajuda de custo pela rainha para quem tem animal em casa. Muito parecido com a gente, não é?


Infelizmente, o Brasil ainda não criou essa consciência. Não digo sobre receber dinheiro do governo, não, digo sobre fazer valer as leis que garantem a dignidade animal. O que vemos aqui é que se uma pessoa vai a uma delegacia fazer queixa sobre maltrato aos bichinhos, ela é mal atendida, é recebida com deboche, como se isso fosse uma grande besteira.


Tivemos um exemplo recentemente, dos gatinhos que estavam sendo mortos no cemitério do Araçá., em São Paulo. Ninguém sabe ainda o que de fato está acontecendo com eles, mas precisou do caso parar na imprensa para as autoridades resolverem prestar uma maior atenção. Isso terá que ser assim sempre? Se é lei, está aí para ser cumprida, e a obrigação dos órgãos públicos é atender o caso com dignidade e atenção.


Vemos que ainda falta muito para a raça humana entender certas coisas, mesmo porque se fazem guerras contra a própria espécie, o que sobrará aos animais? Mesmo assim, os que têm consciência do quão errado é maltratar um animal, que passe a ideia adiante e faça cada um a sua parte. Estamos juntos.


  Oscar e suas patinhas artificiais (Foto: BBC)
Nova vida para Oscar (Foto: Reuters)


Fonte: IG/Ciência
Link para matéria original e vídeo: http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/gato+amputado+ganha+patas+traseiras+bionicas/n1237681555763.html

Um comentário: