terça-feira, 13 de julho de 2010

Chega ao fim a saga Shrek

Shrek conquistou a vida que todos sonham: uma mulher que o ama, três filhos saudáveis e amigos que o admiram de verdade. Mas parece que algo ficou faltando. E a ingratidão do ogro é a peça principal de Shrek para Sempre (Shrek Forever After).

No quarto e último filme da saga, Shrek começa a sentir falta do que tinha quando era apenas um ogro desconhecido. Antes, era temido por todos, agora, virou alvo de atração turística no pântano onde vive com sua família. O grande salvador de Fiona passa então a se sentir inferior, como se toda a sua valentia fosse por água abaixo tornando-se um normal “pai de família”.

É aí que ele cai nas lábias do malvado Rumpelstiltskin, que vive de oferecer pactos obtendo em troca algo que o favoreça. Rumpel promete que mudará a vida do ogro por um dia, em troca pede a ele um dia qualquer de sua vida, que não tenha sido interessante. E então o reino de Tão Tão Distante cai nos domínios do malvado negociante, acabando com toda a rotina fabulosa do lugar.

Esse último filme está sob a direção de Mike Mitchell, que procurou resgatar a ideia inicial dos dois primeiros filmes, que foram dirigidos por Andrew Adamson. O terceiro filme, na direção de Chris Miller, meio que ficou perdido, não agradando tanto aos amantes dos personagens mais marcantes do meio da animação.

Shrek para Sempre leva como moral da história que a ingratidão não vale a pena, quando você tem tudo o que as pessoas sonham ter na vida. E o ogro terá que viver um grande pesadelo para aprender a lição, inclusive colocando em risco seu grande amor, Fiona.

Personagens que o seguem como o Burro, o Gato de Botas e Biscoito, voltam também nessa animação de despedida, mas em uma situação diferente em determinado momento.  O Gato de Botas, por exemplo, agora é obeso e não é mais um espadachim, mas conserva toda a sua graça e charme que cativou milhões de pessoas ao exibir os olhinhos grandes e úmidos, implorando por alguma coisa.

O filme é bom, porém não é o melhor da saga. Fica a certeza de que realmente tem que terminar, pois não há mais nada para contar na história do ogro.


Um comentário:

  1. Oi Silvia!!
    Vim retribuir a visitinha lá no meu blog felino.
    Seu blog é muito bacana, adorei as postagens.
    Beijo grande.

    ResponderExcluir