sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Crítica: Santuário - Sufocante e surpreendente



Impactante, agonizante e claustrofóbico, Santuário (Sanctum) irá apresentar as maravilhas e perigos do mundo subaquático.


Produzido por James Cameron e dirigido por Alister Grierson, o filme é baseado na história real do roteirista Andrew Wright, que ficou preso numa caverna durante uma tempestade.


Em Santuário, Frank McGuire (Richard Roxburgh) é um mergulhador conhecido e respeitado por todos, que sempre está em busca de uma nova aventura ou descoberta. Durante uma expedição para explorar as cavernas Esa-ala, no Pacífico Sul, Carl (Ioan Gruffudd), Victoria (Alice Parkinson) e Josh (Rhys Wakefield), este filho adolescente de Mcguire, se unem à equipe de exploradores. Mas uma tempestade ocorre e prende toda a equipe nesse mundo subterrâneo, e a ordem agora é a sobrevivência.


É incrível o temor e angustia que você sente enquanto vê as pessoas tentando se salvar. Na versão 3D, a qual foi gravada com as mesmas câmeras que Cameron usou para “Avatar”, você sente como se estivesse dentro das cavernas. Então imagine só: cenas dentro de uma caverna escura e gelada (você dentro do cinema com o ar condicionado em 17°C), com água sufocando e afogando tudo o que vê pela frente (você com falta de ar e claustrofóbico). Eu saí da sessão pedindo para ver a luz do dia e tentando respirar ar puro.


Cameron deve mesmo gostar de ver pessoas morrendo e sufocando no fundo do mar. Já vimos isso em “Titanic” e “O Segredo do Abismo”. Mas em 3D a conversa é outra. Você realmente “sente” aquilo tudo.


O filme é muito impressionante, por isso, se você tem problemas graves em relação a ver cenas de morte ou tem claustrofobia em um nível crítico, é bom se preparar. Tudo foi feito pra chocar e impressionar mesmo. Mas tirando a sensação de sufoco, o filme é ótimo, muito bem dirigido e produzido, prendendo nossa atenção até o final. Vale a pena conferir no cinema, e se possível na versão 3D.


6 comentários:

  1. Estou curioso em assistir, tudo que li me lembra "O Abismo do Medo", que apesar de ter um baixo orçamento, também é extremamente sufocante.

    Até mais.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. O filme é muito bom! O 3D de Cameron soma ao filme e traz toda a ação da tela para o espectador. Realmente um belo trabalho de direção e fotografia. Sem sombra de duvida, vale o ingresso e é ação sufocante do inicio ao fim!

    Um grande abraço...

    ResponderExcluir
  4. Pô, segunda vez que eu entro aqui e mudo de opinião sobre um filme que eu ainda não vi. E tenho um preconceitozão com o James Cameron, sério. Mas vou ver se dou uma chance sim.

    ResponderExcluir
  5. É um daqueles filmes que devem ser vistos em 3D. Em 2D não deve ser tão sufocante como você diz. Não estou muito animado para assistir. Vou dar preferência aos do Oscar.

    =]

    ResponderExcluir
  6. Mateus, eu vi esse filme em "normal" mesmo. Kkkkkkkkkkk! Na casa de uma amiga. E ele é realmente sufocante e [muito] surpreendente.

    Começa morno, até bobo, mas o filme começa desenrolar de uma forma fenomenal.

    ResponderExcluir