sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Crítica: O Besouro Verde


 Esqueça tudo o que você já viu sobre heróis...

Quando vi que teríamos um filme sobre heróis estrelado por Seth Rogen, logo pensei: “what the hell?”. É quase que impossível imaginar Rogen fazendo um papel sério de herói. Mas quando O Besouro Verde (The Green Hornet) começou a rodar, entendi bem o que ele fazia ali.


O milionário Britt Reid (Rogen) vive desperdiçando a fortuna da família em noites fartas de mulheres e bebidas. Seu pai, dono do jornal Sentinela Diária, vive frustrado ao ver que Britt não quer nada com a vida, nem mesmo se interessa pelo jornal. Um dia o jovem chega de uma de suas noites de farra e descobre que seu pai está morto. É aí que recebe o apoio e amizade de Kato (Jay Chou), um funcionário de seu pai, mestre em caratê, que acaba sendo cúmplice das ideias malucas do rapaz, que resolve sair pelas ruas bancando o herói e salvando as pessoas.


Com suas grandes habilidades, Kato constrói o Beleza Negra, um carro cheio de parafernálias que irá ajudar a dupla em sua empreitada. O alvo é o grande mafioso de Los Angeles, Benjamim Chudnofsky (Christoph Waltz), que quer esmagar o Besouro Verde quando este ganha as páginas de todos os noticiários.


Para ajudar a bolar seus planos, Britt contrata a bela Lenore Case (Cameron Diaz) como secretária, e ela terá que se empenhar com os passos dos heróis e burlar as cantadas da dupla.


Como disse no início, não via com bons olhos Rogen fazendo papel de herói, pois não é a cara dele. Mas nesse caso, é sim. Britt é o próprio Rogen, o mesmo carinha de outros filmes do ator: irresponsável, mulherengo, babaca, infantil, que adora fazer coisas erradas do tipo se embebedar ou usar drogas. Parece que ele já ficou com esse estereótipo em tudo o que faz.


O filme diverte, mas exagera. Explosões, tiros e porradas para todo o lado, forçando uma barrinha aqui e outra ali, é mais um daqueles que faz o que na vida real seria impossível. Apesar do exagero e das babaquices encontradas, podemos apreciar a atuação de Chris Waltz (Bastardos Inglórios), que faz um ótimo papel como vilão.


Esqueça a formalidade de filmes sérios sobre heróis como Batman e Superman. Aqui o lance é pensar numa comédia e dar boas risadas com as trapalhadas d’O Besouro Verde e seu motorista. Bobinho, mas engraçado.



Um comentário:

  1. Silvia querida, vim desejar um lindo e abençoado fim de semana pra você!!

    Beijinhos e miadinhos da Nikita:)

    ResponderExcluir