segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Avatar - Vivendo no mundo de Pandora. Também quero ir!


O novo filme de James Camaron , escrito e dirigido pelo próprio, nos levará para um mundo totalmente encantador e misterioso.


Avatar estreia nesta sexta-feira nos cinemas, e já é promessa de uma grande bilheteria e a descoberta de um mundo novo: a lua de Pandora.

No ano de 2154, a 4,4 anos-luz da Terra, no sistema estelar Alpha Centauri, foi localizada a lua Pandora, um lugar semelhante ao nosso planeta, porém muito mais fascinante. É nesse lugar que se encontra o mineral raro unobtainium, que solucionaria o problema de crise energética na Terra.

Só que para consegui-lo, os terráqueos acabam por invadir Pandora, onde encontram os Na’vi, seres humanóides que habitam aquele lugar e lutam para manter suas riquezas longe dos invasores.

Jake Sully (Sam Worthington) é um ex-fuzileiro naval paraplégico que acaba de perder seu irmão gêmeo e é então recrutado para o substituir numa missão em Pandora. Por ter o mesmo DNA, assume o avatar de seu irmão e descobre uma outra vida além da sua.

Em Pandora, Jake conhecerá Neytiri ( Zoë Saldana), que o levará ao seu clã, os Omaticaya, onde aprenderá a viver e ser um Na’vi. Aqui começa uma nova vida para Jake.

Camaron investiu milhões de dólares para Avatar, que tem a tecnologia Imax 3D. E é perfeito. Você parece estar dentro do filme. Aliás, com o andar da história, você quer realmente estar lá.

Incrivelmente lindo, Pandora é um lugar que se não fosse tão rude em questões tecnológicas e animais, seria perfeito. Lindas combinações de cores na natureza, com seres que a respeitam. E acreditem, não há como não achar Neytiri linda. Com toda selvageria de sua raça, ela transparece um ser puro e de bom coração.

Aliás, na minha opinião, a mensagem moral do filme é o que há. Avatar irá nos ensinar que há algo mais do que tecnologia, conquistas sobre povos, dinheiro e coisas desse tipo.

O filme é longo, com 162 minutos de duração, mas sinceramente, não senti que passou tudo isso. A gente se envolve de uma maneira em que quer continuar naquele lugar, com todos seus mistérios e maravilhas luminosas. Só vendo para entender.

Confesso que a primeira vez que li sobre o filme acreditei que fosse somente mais um besteirol de videogame, ou algum filme saído do desenho animado, bem infantilzão. Mas fui conferir. E adorei. Ainda estou com a cabeça no mundo de Pandora, com todos os seus avatares, Na’vis, bichinhos encantados e ferozes, plantações luminosas e rios cristalinos. Se venderem passagens turísticas para lá, eu quero ir!




Fotos: Fox Film - divulgação

Um comentário:

  1. Oi, tudo bem?
    vim conferir sua crítica ao filme.
    Concordo com vc, o lugar é lindo, a gente nem sente o tempo passar e quando acaba fica com gosto de quero mais.
    Se a passagem for com acompanhante me chama, ok?
    Obrigada pela visita la no cafofo, gostei bastante.
    Beijos

    ResponderExcluir