quinta-feira, 27 de março de 2014

Crítica: Faroeste Caboclo


Filme baseado em música da Legião é fraco e apático




“Não tinha medo o tal João de Santo Cristo”. Assim começa a música de Renato Russo, gravada pela Legião Urbana na década de 80, que ficou na memória e boca de muitos adolescentes da época.

Com cerca de nove minutos de duração, a canção contava a saga de João, morador de Santo Cristo, na Bahia, que um dia resolveu mudar de vida e foi pra Brasília, onde acabou por se envolver com o crime.

Duvido que quem conheça a música já não tenha pensado na hipótese dela virar filme um dia. E virou. Com direção de René Sampaio, Faroeste Caboclo – O Filme, levou muitos fãs da história para o cinema, mas, pelo visto, não agradou tanto assim.

No longa, João (Fabrício Boliveira), vai pra Brasília após a morte de seus pais, com quem vivia no sertão da Bahia. Lá ele se envolve com o primo Pablo (César Troncoso), traficante da cidade, que logo o envolve no crime.

Em uma das entregas de encomenda de Pablo, João conhece Maria Lucia (Ísis Valverde) de uma maneira inusitada e absurda, diria eu. Logo encontra seu maior inimigo, Jeremias (Alex Sander), grande traficante da região e um grande apaixonado por Maria Lucia.

Faroeste Caboclo não tem nada de faroeste, mais parece um filminho dramático tipo B. Se o filme fosse jogado nas mãos de Padilha (Tropa de Elite, Robocop), teria motivo para ser um baita faroeste de fato. Nas mãos de Sampaio, o filme se tornou algo apático, frio, sem sentido.

Faltou muito de ação, tanto para os personagens quanto para certos momentos contados na história. Vemos que trechos importantes e que daria mais movimentos para o filme, conforme a música, não foram usados. O que usaram foi a essência do romance e do envolvimento com o tráfico, mas de uma maneira muito, mas muito apática.

Há o final alternativo do filme após os créditos, esse sim mais ou menos conforme conta a música. Tá certo que ficaria uma coisa meio figurativa, mas tenho certeza que os fãs sairiam mais satisfeitos.

Do jeito que ficou, com certeza decepcionou muitos os que curtiam a música e sonharam um dia vê-la na telona. O João de Santo Cristo mais parecia um medroso cagão, que não era nada temido pelo seu maior rival. E lembre-se que foi só depois que não tinha mais medo de polícia, capitão, traficante, playboy ou general que ele teria conhecido a Maria Lucia.

Enfim, um filme para se esquecer. Lamentável.



Faroeste Caboclo – O Filme, é um drama do cinema nacional que estreou nos cinemas em 31 de maio de 2013.

4 comentários:

  1. Ontem mesmo eu estava conversando com uma colega de trabalho que achou o filme ruim, e lendo sua critica fiquei mais desanimada ainda para ver.
    beijos

    ResponderExcluir

  2. Ha sido un placer visitar tu bloc, te invito a visitar el mío, i el nuevo post sobre la Pascua y sus dulces que te encantaran.
    Espero que nos volvamos a ver y si no eres seguidora me encantaría que lo fueras, te espero en mi bloc elracodeldetall.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Vixe Meu Deus!!! Nem vou ver assim....

    ResponderExcluir
  4. Eu conheci o trabalho do ator Cesar Troncoso para o hipnotizador série S e eu vi que tem papéis muito surpreendentes

    ResponderExcluir