sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Review: Glee: 3.02 – I Am Unicorn

 O título deste episódio de Glee se refere a uma historinha contada por Britanny, sobre o cavalo que se diferencia por ter um chifre, assim como Kurt, por ser gay.

Quinn ainda está naquela de andar com as prostitutas da escola, até que surge Shelby, a mãe biológica de Rachel, e mãe adotiva da filha da loira com Puck, que insiste que ela tem que rever a criança e participar de seu crescimento. Puck apoia, mas Quinn não quer saber e aceita ajudar Sue em mais uma investida contra o Glee Club. Sue diz que a arte levou a garota a isso que ela se transformou agora.

Claro que a presença de Shelby não mexerá somente com o casal que lhe entregou a criança, mas com sua própria filha, que não tem bom relacionamento com ela.

Enquanto isso, os integrantes do New Directions estão batalhando para a vaga em um musical que irão trabalhar. Kurt e Rachel, pra variar, são os que mais batalham essa vaga, mas Kurt, de um modo especial, teve uma dedicação bem acima. Só que um probleminha atrapalha os sonhos do garoto: o papel a ser disputado é de um homem sedutor, o que não combina nada com o perfil de Kurt, que não consegue convencer os juizes Artie, Emma e Beiste, que pode representar um homem de verdade.

Um ciuminho irá surgir a partir daqui. É que Blaine arrasou em sua apresentação, e o papel foi oferecido a ele. Já vi que esse romance está cheirando a crise.

Para variar, as músicas desse episódio de Glee são todas baseadas em musicais da Broadway. Ai que saudade das músicas da 1ª temporada....

De resto, mais um episódio morno, baseado nessa baboseira de unicórnio da Brittany, e na mudança de Quinn, que volta a ser a loirinha patricinha após levar uma patada na cara do professor Will. Até que enfim! Esse é o destaque desse episódio, pelo menos uma vez Will deixa de ser babaca e toma uma atitude, detonando as pessoas que o humilham com as palavras certas. Bum!!!

Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário