quinta-feira, 19 de junho de 2014

Crítica: X-Men : Dias de um Futuro Esquecido

Do futuro para o passado: X-Men tentam mudar seu destino

Incrível como roteiristas e cineastas gostam de lidar com o futuro apocalíptico. E X-Men: Dias de um Futuro Esquecido (X-Men:Days of Future Past) também entrou nessa.

No futuro, os Sentinelas, robôs enviados para exterminar mutantes, estão prestes a acabar com toda a raça. Para evitar que isso aconteça, a única solução encontrada foi mandar um mutante ao passado para alertar sobre o perigo que correm se não impedirem um determinado acontecimento ocorrido em meados dos anos 70.

Magneto (Ian McKellen) parece redimido de tudo o que causou com sua arrogância e maldade. Num futuro sombrio e cinzento, ele está ao lado do professor Xavier (Patrick Stewart), e agora quer impedir que os Sentinelas os exterminem.

E quem será o escolhido para ser enviado ao passado para resolver essas pendengas? Quem? Quem? Claro, Wolverine (Hugh Jackman).

O filme todo é uma viagem de vai e vem, do passado que está prestes a ser mudado, ao futuro, todo destruído, com X-Men tentando sobreviver ao ataque dos Sentinelas.

No passado encontramos Magneto (Michael Fassbender) com toda a sua arrogância em auge brigando contra humanos normais e mutantes. Aliás, ele é o foco do filme.

Outra também que aparece muito é Mística (Jennifer Lawrence), que está com sua raiva focada no Dr. Bolívar Trask (Peter Dinklage), o qual também está de olho nos mutantes.

Dinklage, aclamado pelo papel de destaque na série da HBO “Game of Thrones”, também atua muito bem em X-Men: Dias de um Futuro Esquecido. Ele é uma peça chave para o filme.

O Charles Xavier do passado (James McAvoy) já está sem seus movimentos nas pernas, como terminou em sua última aparição em "X-Men: Primeira Classe". Faz também uma ótima participação neste filme, mostrando o lado rebelde que Xavier já teve em sua vida.


Uma coisa que muito me intrigou foi o excesso de tecnologia para a época de criação dos Sentinelas. E quando nos anos 70 dispúnhamos de tanta tecnologia assim? Repare nas organizações Trask e como os sentinelas foram feitos. Tecnologia que dava para criar televisores de LCD já nos anos 80.

Desnecessário falar da atuação de Hugh Jackman como Wolverine, porque o personagem Wolverine é o “cara”. Acho que gosto do personagem até porque não é aquele herói cheio de virtudes, e sim um cara amargurado, grosso e irônico, o que faz dele um ser verdadeiro.

Mas quem rouba a cena realmente neste filme é Mercúrio (Evans Peters). O cara é tão brilhante que deveria ter ganho muito mais destaque nesta película ou, quem sabe, uma participação maior nas próximas. A cena onde ele invade o Pentágono é hilária e inteligente. O carinha também atuou bem em seu papel, provou que sabia o que estava fazendo.

Entre mortos e feridos, X-Men: Dias de um Futuro Esquecido é um bom entretenimento, dirigido por Bryan Singer, o qual dirigiu os dois primeiros filmes da franquia. Ele faz o desfecho já para a próxima história, tendo um final que pode mudar muitas coisas.



Ah, e por mais que pareça que não, mas tem sim as cenas do “próximo capítulo”. Estão bem no final do filme mesmo. Assista todas as “letrinhas” se quiser conferir o que virá.




2 comentários:

  1. Ainda não assisti ao filme, mas somente tenho visto resenhas que o favorecem. Em breve... imagino que farei a minha.

    abraço

    ResponderExcluir
  2. Ainda não assisti, ando meio preguiçosa para ir no cinema, mas vou em breve!!

    Adoro esse tipo de filme, e agora, vou observar suas dicas!!

    Querida amiga, tenha um domingo repleto de luz!

    beijinhos,

    Lígia e =^.^=

    ResponderExcluir