terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Você se casaria com o filho dela?





O novo programa da Band, “Quem Quer Casar Com Meu Filho?”, que estreou no último dia 6, traz uma nova proposta em termos de reality show: achar a mulher ideal para o filho de cada uma das mães dos participantes.

Apresentado por Adriane Galisteu, os cinco solteiros, César (nerd), Felipe (garanhão), Ivan (bon vivant), Jan (modelo) e Ramon (gay), são disputados por dez pretendentes que vão sendo eliminadas (os) a cada programa. No final, restará um pretendente para casar com cada participante do reality.

Ontem (13) assisti ao programa e conferi o que se passava. Sério, caí na gargalhada. Como pode você escolher um pretendente para um casório em um reality show? E com pode deixar que a sua mãe influencie em sua decisão?

Pois é bem isso o que ocorre no programa. O pouco que vi, as mães, que se colocam na posição de “sogra” mesmo, na pior fama da palavra, brigam, reclamam e dão palpites sobre a escolha de cada pretendente. E o pior: eles acatam tudo o que elas dizem!

Parece que é essa mesmo a perspectiva do programa. Mães ranzinzas que querem a mulher/homem ideal para seu filhinho. Sim, são todos filhinhos da mamãe, com todas as letras.

Seria cômico se não fosse trágico. Quem, em seu juízo normal, aceitaria isso? Ser manipulada pela sogra ou escolhida como objeto na prateleira? No programa de ontem, a mãe do garanhão Felipe chegou a pedir para ver o corpo (sim, o corpo) das pretendentes do seu neném para saber se era o que ele queria ou não. Foi a polêmica geral.

Prefiro acreditar que isso seja só uma brincadeira com papel e regras assinadas para um programa de TV, ou ficaria louca em pensar que existem mulheres e homens que se submetem a esse tipo de coisa.

Na boa, se fosse verdade mesmo, eles (as) teriam que saber que estariam se casando com o “filhinho da mamãe”, o típico homem mimado que faz tudo o que a mãe quer e por quem elas fazem de tudo, até se intrometem em seus relacionamentos. E, claro, já sabendo o produto que está levando pra casa, não vale reclamar depois. Pode até reclamar, mas “pegou” sabendo o que seria.

Fico aqui pensando em uma versão feminina da coisa: filhinhas do papai procurando maridos. Imagina só a cena: pais com caras de bravo, estilo John McClane (Bruce Willys no filme duro de Matar), armados até os dentes, prometendo matar o cara que fizesse “mal” a sua princesinha. Ah, isso tem que sair para as telinhas, seria hilário.


Seja como for, é o tipo de reality para dar o que falar. Porém, a Band não apostou muito nisso e não fez muita divulgação. Eu mesma só vi por acaso, porque zapeei os canais e parei lá para ver o CQC (o reality está ocupando o mesmo horário durante as férias do CQC). Se fosse em outra emissora, a polêmica iria longe...

Nenhum comentário:

Postar um comentário