quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

"A Hora Mais Escura" apresenta sua versão sobre a morte de OBL



Após o reverenciado sucesso pela crítica americana, que rendeu Oscar de melhor filme em 2010 para "Guerra ao Terror", Kathryn Bigelow dirige mais um nos mesmos moldes, em parceria com o roteirista Mark Boal, que também escreveu o roteiro do filme vencedor.

A Hora Mais Escura (Zero Dark Thirty) vai mostrar como militares americanos conseguiram capturar o homem mais procurado do mundo: Osama Bin Laden.

Falamos aqui de mais um provável vencedor de estatuetas. A Hora Mais Escura é um filme tecnicamente perfeito, com uma boa sequência, boa atuação, e bem explicadinho.

Para quem se interessa pelo assunto terrorismo, esse filme cairá como uma luva. Cenas fortes, de tortura e tensão farão qualquer um se espremer na poltrona do cinema, até mesmo os mais fortes.

Já para quem não gosta do assunto... Com certeza ficará com mais raiva dos americanos ao ver como torturavam pessoas para conseguirem o que queriam. Seria uma guerra ao terror onde o terror também é americano.

Claro que para os americanos esse filme significará muito. É a história deles, o orgulho e patriotismo que vive aceso em cada um de seus habitantes. Olhando com outros olhos, o terror vem de ambos os lados.

No filme, a responsável pela grande investigação é Maya (Jessica Chastain), que participa de todos os detalhes com grande ansiedade para descobrir onde se esconde OBL. A atriz interpreta bem o seu papel, parecendo uma mulher frágil, porém determinada a “salvar” o seu país dos terroristas.

Parece que Kathryn está querendo fixar seu nome neste tipo de filme. A Hora Mais Escura com certeza trará à tona novamente a discussão do que é certo ou moralmente correto neste acontecimento, lembrando bem que muitos ainda não acreditam que os fatos ocorreram da maneira como estão sendo contados. Mesmo assim, é uma boa desculpa para assistir ao filme e tirar suas conclusões.



Um comentário:

  1. Ainda não vi o filme, mas claramente Kathryn Bigelow dirigiu pensando em vencer novamente o Oscar com um tema semelhante a "Guerra ao Terror".

    Abraço

    ResponderExcluir