quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Crítica: Os Mercenários 2

 Time de peso mostra que idade não é problema para entrar em ação



Você pode falar que eles estão velhos, acabados, que não têm nada mais a ver com os personagens e estilo, mas quem foi fã dos caras não consegue ignorar quando vê juntos Sylvester Stallone, Jason Statham, Arnold Schwarzenegger, Bruce Willis, Chuck Nurris, Terry Crews, Jean Claude Van Damme... Tudo isso num recheado festival de sangue, pancadaria e tiros, resume-se Os Mercenários 2 (The Expendables 2).

O elenco ainda conta com Randy Couture, Dolph Lundgren, Jet Li, o novato Liam Hemsworth e a primeira mercenária, Yu Nan. O filme começa quando a equipe de mercenários está resolvendo um problema pessoal e é convocada por Church (Bruce Willis) para uma missão que envolve cinco toneladas de plutônio que não podem, de maneira nenhuma, cair em mãos erradas.

Barney (Stallone) é obrigado a aceitar a missão devido a uma dívida com Church, e ainda ter que levar consigo uma mulher em sua equipe, Maggie (Yu Nan). Porém, algo inesperado acontece, e após a morte de um integrante da equipe os mercenários ficarão ainda mais violentos.

Se você não gosta de sangue, prepare seu estômago para ver cabeças rolando, corpos explodindo e sangue jorrando para todo o lado. Melhor que isso são as cenas de luta à moda antiga. Hilário, principalmente quando você lembra a idade dos protagonistas, que já estão sendo carinhosamente chamados de “Os Sexagenários”.

Os Mercenários 2 segue a linha do primeiro, ou seja, porrada e marmelada, mas no estilo que o povo gosta. Agora melhorou com a chegada de Chuck Nurris e Jean Claude Van Damme, que neste filme faz o rival dos mercenários, além de uma participação mais intensa de Schwarzenegger e Bruce Willis.

Sei que é meio estranho quando a gente vê os caras que estão só o caramelo derretido agindo como mocinhos, ou melhor, eles parecem mais fortes que os mocinhos, mas como disse, a gente dá um desconto por tudo o que já fizeram nos anos 80 e 90.

O legal mesmo é ver que neste filme eles agem como tal, admitindo a idade e até brincando com a situação. Achei isso uma ótima sacada. Quer dizer, alguns deles, porque às vezes tenho a impressão que Stallone pensa que está filmando “Rambo”.

O exagero em cenas de sangue traz cenas cheias de poluição visual, onde você não sabe quem tomou o tiro. Marmeladas à parte, o filme não é só violência. Cenas e frases cheias de cinismo e ironia farão o cinema inteiro cair na gargalhada. Não tem jeito, se você é fã dos caras, vai curtir. Lembrando que John Travolta se negou a fazer parte do elenco, e que Stallone não é mais diretor, deixando o cargo para Simon West (Tomb Raider). A trilha sonora também é bem legal, com um rock e blues bem às antigas.

Portanto, assista sem medo, deixe-se levar pela violência e traquinagens dos sexagenários...ops! mercenários que tanto já curtimos em outras películas. Aliás, do jeito que vão, bem que podiam se juntar à turminha de “RED – Aposentados e Perigosos (RED)”, já que isso mesmo que parecem ser: aposentados perigosos.

5 comentários:

  1. Tô doida pra ver esse filme!!! Amei a sua crítica sil!
    Ah, e amei tb a expressão "só o caramelo derretido"!
    Tem um sorteio no blog, vai lá! Tá bombando menina, alguém divulgou em algum lugar e tá cheio de gente querendo ganhar o relógio by Pari! rsrs bjos

    ResponderExcluir
  2. Eu era apaixonada pelo Van Damme hahahaha. Apesar dos filmes de ação não serem os meus preferidos é provável que eu assista porque o Mateus tá super a fim de ver.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu passei a adolescencia vendo essa turma. A primeira vez que fui ao cinema com um namoradinho foi para ver Rambo, claro que odeiei pois queria ver algo romântico e queria atenção dele, e ele só queria ver o Stallone.
    beijos

    ResponderExcluir
  4. O primeiro já foi bem legal, agora preciso conferir esta sequência.

    Até mais

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir